domingo, 19 de março de 2017

Porto & Douro Wine Tasting 2017 Brasil


Em mais um ano consecutivo, tive o privilégio de participar da degustação de vinhos do Porto e do Douro, a Porto & Douro Wine Tasting 2017 Brasil, realizada na quinta-feira, dia 9 de março, no Hotel Intercontinental em São Paulo, essa a qual vem ao  país por meio da EV, Essência do Vinho, empresa líder na produção e divulgação de vinhos em Portugal, e que felizmente "cá, nós da terrinha", somos fortes integrantes na agenda de atividades dessa importante empresa. Não à toa, o crescimento no consumo de vinhos portugueses nos últimos anos, perde apenas em valor e volume para os nossos conterrâneos Chile e Argentina, pleiteando o 3º lugar no ranking de importação em 2016 e um destacado 1º lugar entre os vinhos europeus, concluindo - se assim, que onde se tem investimento tem retorno.

Eram tantas garrafinhas ali, que realmente nos confundia entre tantas boas opções de prova. Conforme o evento decorria, maior era o número de presentes, e consequentemente mais difícil era ter toda uma atenção dos produtores por mais amáveis que  esses fossem. Felizmente o que degustei  ali foi realmente um show! Fiz minha listinha de alguns dos mais apreciados rótulos avaliados por mim para apresenta-los então à vocês.

Então vamos aos vinhos?

O primeiro vinho a ser lembrado neste dia é o Quinta das Tecedeiras Reserva 2014 (vinho 1). Como já conhecia o Flor das Tecedeiras, sabia que seria impossível me decepcionar. Esse vinho foi elaborado à partir de vinhas velhas do Douro, um corte de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Barroca e Tinta Amarela. Delicioso aroma floral (violeta), além de boa intensidade de frutas silvestres e pó de cacau. Delicioso agora, e com um excelente potencial para envelhecer. Quem traz essa jóia é a Winebrands. Um produtor o qual eu ainda não conhecia, hoje também me revelou excelentes vinhos, o nome dele? Quinta de La Rosa. Quinta de la Rosa Reserva DOC 2014 (vinho 2), o primeiro, leva em seu corte as uvas Códega do Larinho, Rabigato e Viosinho. Ao servir e de longe dava para sentir os seus aromas envolventes na taça. Fruta tropical, misturada a um limão e frutas de caroço (pera), deixando na boca um grande frescor e persistência. Não à toa recebeu essa mesma safra 91Pts no Wine Enthusiast. Passagem Reserva Tinto 2012 (vinho 3) é um tinto do mesmo produtor. Frutas vermelhas mais adocicadas, maduras mesmo e de grande finura, trazendo ainda ameixas e especiarias. Equilibrado, estruturado e elegante. No corte traz da 45% Touriga Franca, 40% Touriga Nacional e 15% Tinto Cão. Quem importa os vinhos dessa excelente vinícola é a Adega Alentejana. Quinta do Noval é um outro produtor exclusivo da Adega Alentejana, conhecido pela produção de seus excelentes vinhos fortificados (vinhos do Porto). Maria Mansa Douro DOC 2014 (vinho 4), é um exemplar que certamente vem para mostrar a outra face desta Quinta, em elaborar vinhos tintos tranquilos maravilhosos. Frutas vermelhas frescas e excelente equilíbrio entre a fruta e a madeira que aqui não tem nada de carregada. Corte de Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional.

Voltando novamente aos vinhos brancos, pois estava muito calor naquele dia, degustei o Tons de Duorum Branco 2013 (vinho 5) e o Evel (vinho 6). O primeiro, leva em seu corte 30% de Viosinho, 30% Rabigato, 20% Verdelho e 20% Arinto. Aroma intenso de frutas tropicais e citrinas, muito fresco e equilibrado em boca (importado pela Casa Flora). Já o Evel é vinificado pela lendária Real Companhia Velha. Seu nome é um trocadilho, uma espécie de anagrama, que pode significar "Leve". Viosinho, Rabigato, Fernão Pires e Moscatel. Vinho de entrada deste grande produtor, Apresenta notas de frutas brancas, notas florais e um evidente vegetal (é muito bom mesmo). É importado pela Barrinhas.

A grande surpresa em vinhos brancos viria depois. HO Moscatel Galego Branco 2015, (vinho 7) do produtor Horta Osório Wines, é um vinho para instigar. A gente fica procurando as notas tão típicas da casta Moscatel e não as encontra, pois ele é um vinho moscatel seco. Há muita complexidade tanto no aroma com em seu paladar. Evidencia notas florais e herbáceas (hortelã). Para mim foi maior destaque entre os vinhos brancos que eu degustei nesta grande prova. Jobtotal é o nome do importador que o traz para o Brasil.

Para finalizar, degustei dois vinhos da Quinta dos Avidagos. Quinta dos Avidagos Reserva 2015 (vinho 8) e o Lote 138 2015 (vinho 9). O primeiro, com notas de frutas silvestres maduras, toques balsâmicos, especiarias e chocolate. Já o Lote 138, é um vinho de frutas vermelhas mais frescas, de estilo descompromissado e jovial. Bastante fresco e frutado. Há indícios que em breve tem novo importador por aí, a Conceito Português. Deliciosos!


Até o próximo post!

Vanda Meneguci.