segunda-feira, 24 de abril de 2017

Art des Caves oferece descontos de até 40% durante a 11ª edição do Mania de Vinho

Avant première da empresa, que completa 20 anos em 2017, acontece no dia 09 de maio no D&D Shopping, em São Paulo
 


No próximo dia 09 de Maio, a Art des Caves, pioneira na fabricação de adegas climatizadas no país – que em 2017 completa 20 anos – inicia a 11ª edição do Mania de Vinho, temporada de descontos de até 40% em rótulos de diversas nacionalidades, com um evento no D&D Shopping, em São Paulo.

Na ocasião, clientes e convidados da empresa, entre eles sommeliers, arquitetos, decoradores e profissionais da imprensa, serão recebidos para a degustação dos vinhos em promoção. São esperadas durante a recepção, que será aberta também ao público, mais de 1,5 mil pessoas. Para participar, basta realizar a inscrição através do site http://bit.ly/2oEXsJN 

Além de títulos exclusivos da Art des Caves no Brasil, como Pinna Fidelis e Malco, o consumidor terá acesso – no dia do evento e durante todo o período de descontos –, a rótulos com excelente custo-benefício de empresas parceiras, que terão estações próprias na avant première: Obra Prima, Mistral, Ravin, Dominio Cassis, Bodegas, Optimus, Weinkeller, Lidio Carraro, Inovini, Wine Experience, Villaggio Grando e Vince.

Para que o público possa ter uma experiência completa ao degustar esses vinhos, as marcas Mestre Queijeiro e Senhora das Especiarias ficarão responsáveis, respectivamente, pela harmonização de queijos e geleias e compotas, com profissionais que darão dicas de como combinar os sabores com as características das bebidas. Participam ainda da ação a Weinkeller, com linguiças e mostardas, a Casa do Bento Pães Artesanais e a Água Platina.

Neste ano, o Mania de Vinho, que já faz parte do calendário paulistano dos amantes da enologia, acontece entre os dias 09 a 31 de Maio, em duas lojas físicas da Art des Caves.

Novidades em adegas

Para coroar os seus 20 anos de existência, a Art des Caves apresenta ao público, durante o Mania de Vinho 2017, os seus mais recentes lançamentos em adegas. Duas de suas mais conhecidas linhas acabam de ganhar novas versões: a Sommelier, que agora aparece nos modelos para 200, 90 e 40 garrafas; e a Petit, para 38 garrafas.

Com perfis diferentes, ambas possuem o que há de mais moderno quando o assunto é tecnologia. A Sommelier, que pertence a uma linha mais profissional, é produzida com portas Bordeless, prateleiras cromadas, iluminação em LED, além de tecnologia antivibração e alarme sonoro. Já a Petit, destinada ao consumidor que está ingressando no mundo do vinho, vem com prateleiras cromadas, iluminação interna e painel touch. Em comum, as duas linhas apresentam controle eletrônico de temperatura.

Serviço
Data: 09 de Maio de 2017
Horário: das 15 às 21 horas
Local: D&D Shopping/Piso Superior
Endereço: Avenida das Nações Unidas, 12.551 – São Paulo

Onde encontrar:

SÃO PAULO 
                                                      
Morumbi Shopping
Av. Roque Petroni Junior, nº 1089
Loja 227-1
Fone: 11 5181-1723/1725

D&D Shopping
Av. Nações Unidas, nº 12551
Loja 239 – térreo
Fone: 11 5505-0223/0290

Sobre a Art des Caves – Pensando em todos os estilos, a Art des Caves desenvolve há 20 anos as melhores adegas climatizadas para vinho e climatizações de ambientes. Pioneiros no Brasil na fabricação de adegas climatizadas, ouvimos os desejos dos consumidores, pesquisamos continuamente e sempre criamos novidades no universo da enologia para todos os gostos. Nós atendemos tanto os clientes que admiram a tecnologia, o design moderno e a objetividade quanto os que seguem as tradições, preservam a cultura à risca e gostam de vivenciar no seu ambiente o estilo dos vinhos. Conheça nossos produtos no site www.artdescaves.com.br.

Informações à imprensa:
Sheyla Pereira
(11) 95118-4905 – sheylamp@yahoo.com.br

Até o próximo post!
Vanda Meneguci

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Descorchados 2017

O evento que já fincou a sua bandeira aqui no Brasil e que todos os players do mercado esperam ansiosos


Espaço Traffô no Descorchados 2017


Garantir a minha vaga neste primoroso evento já nos primeiros dias em que recebi o convite para participar como imprensa, através deste blog que lhes fala, foi realmente um bom sinal de astúcia e inteligência. Astúcia porque o Descorchados é o tipo de evento que todos os winelovers esperam, e sendo assim as suas vagas são limitadas. Inteligência porque participando como imprensa, pude chegar com uma hora de antecedência para escolher ''aquele'' produtor em especial, e realizar uma prova completa de seus vinhos, e isso pode até parecer pouco, - a uma hora - mas vi vantagem. O Descorchados 2017, aconteceu neste ano em um espaço diferente, o Traffô, localizado também no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo Capital. 

Como o evento tem recebido a cada ano um maior número de interessados, a então antiga sede a abriga-lo, a Praça São Lourenço, pareceu "pequena" perante à tamanha procura. Confesso que gostava mais do antigo local, apesar do espaço Traffô ser bastante agradável e plano, e esse é um de seus pontos positivos, mas no dia em questão, que aconteceu o Descorchados 2017 fazia muito calor; e com a quantidade de pessoas circulantes ali, o espaço tornou-se literalmente, se comparado for ao das edições anteriores, o atual pareceu pequeno e bastante abafado.

O que faz o Descorchados ser tão interessante, é que o melhor dos produtores dos países que esse famoso guia audita (Chile, Argentina, Uruguai e Brasil), estão todos lá, apresentando os seus melhores rótulos, todos eles disponíveis a degustação. E quem sabe disso, não perde mesmo a oportunidade de conferi-lo bem de perto.

Buscar algo novo e o raro. Aquele que tem grande qualidade e potencial de ser um grande sucesso no Brasil. Vem ai os meus destaques





Em um evento assim tão grandioso, a participação de produtores conceituados, enchem-nos os olhos de alegria, mas ao vislumbrarmos aquele que é raro, o qual nunca vimos antes, nos dá aquela deliciosa sensação de amor à primeira vista. E assim eu foquei apenas naqueles os quais eu ainda não conhecia, e grandes foram as descobertas. Então vamos aos vinhos?


Conheci a Bodega Aniello, e o seu atencioso fundador e presidente, o Santiago Bernasconi. A Bodega Aniello mantém as tradições italianas da família de alguns dos membros proprietários da vinícola, encontrando, ali, na Patagônia Argentina, a expressão de um terroir perfeito para a vinificação de excelentes vinhos, os quais eu pude felizmente degustar "todos" os rótulos disponíveis para a prova. Os rótulos da Sereia são lindos, inspirados nas tradições da lenda de Sorrento, na Italia, cidade onde mitologicamente povoavam as lindas sereias. Todos os vinhos deste produtor são realmente excelentes, e difícil foi fazer uma seleção entre os seus maiores destaques, portanto listei três que achei impossíveis mesmo não comentar, são eles: Aniello Soil 2015 Blanco de Pinot Noir, de tamanha complexidade, pois nos confunde ao vislumbrar um vinho branco com aromas de frutas vermelhas frescas, pois é um vinho tinto vinificado em branco. Aniello Soil 2015 Corte de Pinot Noir, um vinho 100% de Pinot Noir, cuja as uvas são originárias de vinhas de solos diferentes, ou seja, cascalho, areia e argila, e consequentemente essas parcelas também foram vinificadas separadamente para depois juntar-se em um único mosto. Um Pinot Noir com toda tipicidade dos grandes pinots da Borgonha, evidenciando os seus aromas de frutas vermelhas, especiarias, notas florais e cogumelos, tipo de terra mesmo! Delicioso! Certamente a Pinot Noir se adaptou muito bem ali, no clima frio de Rio Negro, na Patagônia Argentina, originando essa belezura de vinho a qual destaco aqui. Trosseau parcela plantada em 1932 é o grande vinho da Bodega, vinificado a partir da casta francesa de mesmo nome, também de clima frio, com acidez marcante e muita mineralidade. Da Bodega Aniello eu só posso mesmo afirmar que são belíssimos vinhos, importados no Brasil para pela World Wine.


Ainda na Argentina, conheci a Antonio Mas Wines, de Tupungato, no Valle de Uco, região de altitude considerada excelente na produção de grandes vinhos, e lá conheci pessoalmente o Antonio Mas, e seus exemplares muito bem elaborados, onde me surpreendi com os rótulos-arte de traços modernos, fazendo um conjunto perfeito. Amei o Single Vineyard Malbec 2014 e o seu Historia Cabernet Sauvignon 2011. Não muito distante, na mesma mesa de degustação, estavam os vinhos Wine Idea, uma trading que faz a comunicação e marketing de alguns produtores de vinhos. E lá estavam os vinhos do Alba en Los Andes, cuja a excelência é notável só em sentir seus aromas em taças. Seu rótulo Reserva de Potrero 2016 é um Malbec sublime, com muito potencial para envelhecer. Seu enólogo e mais um representante, me explicaram a proposta destes exemplares chamados de Potrero. Potrero é uma espécie de campo de futebol, e então me deram uma boa explicação para isso, para o nome e idealização de seus rótulos: "Sabe o Neymar, que é um grande jogador de futebol, que jogava futebol em campos bem simples? É o que chamamos de favela, periferia, de bairro humilde", e então eu entendi o espírito daquilo. Coisas que crescem e se desenvolvem em lugares bem simples, mas com um potencial de estrelato! Gualtallary, de onde provém a Alba en los Andes, é uma pequena região de terra situada no Valle de Uco, pertencente a Mendoza; uma região de atitude que varia de 1.100 a 1.500 metros acima do nível do mar. Com solos muito particulares, de areia calcária e de ótima amplitude térmica, resulta vinhos que hoje são reconhecidos como uma joia. Em resumo, tanto Antonio Mas Wines com Alba de Los Andes são produtores que ainda não tem importador no Brasil.

Dali parti para um produtor do Chile e degustei um rosé delicioso da Bodegas RE, de Casablanca, Enredo 2016 é o seu nome; um corte de Gewurztraminer e Riesling, com aromas tão evidentes de lichia que parecia que a fruta em questão estava ali, dentro da minha taça. Recebeu 96 Pontos no Descorchados 2017! Outros dois grandes produtores sem importador (ainda) no Brasil, e que merecem tapete vermelho são a Escala Humana, - que por coincidência é também de Gualtallary, Argentina, a qual estava dando o que falar pelo tamanho do seu potencial. Livverá Malvasia 2016 e Livverá Malbec 2015 são os seus vinhos. O primeiro, um Malvasia de expressão adocicada no nariz, porém em boca extremamente frutado e seco, uma quebra total de paradigma; e o segundo um fantástico Malbec, cheio de frutas negras, cassis e baunilha - e a Carauma Wines, lá do Valle de Casablanca, no Chile. Weichafe Sauvignon Blanc 2016, é simplesmente fantástico, com uma expressão vegetal no nariz poderosa! Seu simpático enólogo, Roberto Millán M. , foi quem me serviu. Contou-me que não descende de uma família com raízes na viticultura. "Sou um louco na família, disse-me sorrindo". E eu pensei comigo: e quem dera se todos os loucos fossem assim. Felizes para sempre estaríamos!

Até o próximo post!

Vanda Meneguci

domingo, 19 de março de 2017

Porto & Douro Wine Tasting 2017 Brasil


Em mais um ano consecutivo, tive o privilégio de participar da degustação de vinhos do Porto e do Douro, a Porto & Douro Wine Tasting 2017 Brasil, realizada na quinta-feira, dia 9 de março, no Hotel Intercontinental em São Paulo, essa a qual vem ao  país por meio da EV, Essência do Vinho, empresa líder na produção e divulgação de vinhos em Portugal, e que felizmente "cá, nós da terrinha", somos fortes integrantes na agenda de atividades dessa importante empresa. Não à toa, o crescimento no consumo de vinhos portugueses nos últimos anos, perde apenas em valor e volume para os nossos conterrâneos Chile e Argentina, pleiteando o 3º lugar no ranking de importação em 2016 e um destacado 1º lugar entre os vinhos europeus, concluindo - se assim, que onde se tem investimento tem retorno.

Eram tantas garrafinhas ali, que realmente nos confundia entre tantas boas opções de prova. Conforme o evento decorria, maior era o número de presentes, e consequentemente mais difícil era ter toda uma atenção dos produtores por mais amáveis que  esses fossem. Felizmente o que degustei  ali foi realmente um show! Fiz minha listinha de alguns dos mais apreciados rótulos avaliados por mim para apresenta-los então à vocês.

Então vamos aos vinhos?

O primeiro vinho a ser lembrado neste dia é o Quinta das Tecedeiras Reserva 2014 (vinho 1). Como já conhecia o Flor das Tecedeiras, sabia que seria impossível me decepcionar. Esse vinho foi elaborado à partir de vinhas velhas do Douro, um corte de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Barroca e Tinta Amarela. Delicioso aroma floral (violeta), além de boa intensidade de frutas silvestres e pó de cacau. Delicioso agora, e com um excelente potencial para envelhecer. Quem traz essa jóia é a Winebrands. Um produtor o qual eu ainda não conhecia, hoje também me revelou excelentes vinhos, o nome dele? Quinta de La Rosa. Quinta de la Rosa Reserva DOC 2014 (vinho 2), o primeiro, leva em seu corte as uvas Códega do Larinho, Rabigato e Viosinho. Ao servir e de longe dava para sentir os seus aromas envolventes na taça. Fruta tropical, misturada a um limão e frutas de caroço (pera), deixando na boca um grande frescor e persistência. Não à toa recebeu essa mesma safra 91Pts no Wine Enthusiast. Passagem Reserva Tinto 2012 (vinho 3) é um tinto do mesmo produtor. Frutas vermelhas mais adocicadas, maduras mesmo e de grande finura, trazendo ainda ameixas e especiarias. Equilibrado, estruturado e elegante. No corte traz da 45% Touriga Franca, 40% Touriga Nacional e 15% Tinto Cão. Quem importa os vinhos dessa excelente vinícola é a Adega Alentejana. Quinta do Noval é um outro produtor exclusivo da Adega Alentejana, conhecido pela produção de seus excelentes vinhos fortificados (vinhos do Porto). Maria Mansa Douro DOC 2014 (vinho 4), é um exemplar que certamente vem para mostrar a outra face desta Quinta, em elaborar vinhos tintos tranquilos maravilhosos. Frutas vermelhas frescas e excelente equilíbrio entre a fruta e a madeira que aqui não tem nada de carregada. Corte de Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional.

Voltando novamente aos vinhos brancos, pois estava muito calor naquele dia, degustei o Tons de Duorum Branco 2013 (vinho 5) e o Evel (vinho 6). O primeiro, leva em seu corte 30% de Viosinho, 30% Rabigato, 20% Verdelho e 20% Arinto. Aroma intenso de frutas tropicais e citrinas, muito fresco e equilibrado em boca (importado pela Casa Flora). Já o Evel é vinificado pela lendária Real Companhia Velha. Seu nome é um trocadilho, uma espécie de anagrama, que pode significar "Leve". Viosinho, Rabigato, Fernão Pires e Moscatel. Vinho de entrada deste grande produtor, Apresenta notas de frutas brancas, notas florais e um evidente vegetal (é muito bom mesmo). É importado pela Barrinhas.

A grande surpresa em vinhos brancos viria depois. HO Moscatel Galego Branco 2015, (vinho 7) do produtor Horta Osório Wines, é um vinho para instigar. A gente fica procurando as notas tão típicas da casta Moscatel e não as encontra, pois ele é um vinho moscatel seco. Há muita complexidade tanto no aroma com em seu paladar. Evidencia notas florais e herbáceas (hortelã). Para mim foi maior destaque entre os vinhos brancos que eu degustei nesta grande prova. Jobtotal é o nome do importador que o traz para o Brasil.

Para finalizar, degustei dois vinhos da Quinta dos Avidagos. Quinta dos Avidagos Reserva 2015 (vinho 8) e o Lote 138 2015 (vinho 9). O primeiro, com notas de frutas silvestres maduras, toques balsâmicos, especiarias e chocolate. Já o Lote 138, é um vinho de frutas vermelhas mais frescas, de estilo descompromissado e jovial. Bastante fresco e frutado. Há indícios que em breve tem novo importador por aí, a Conceito Português. Deliciosos!


Até o próximo post!

Vanda Meneguci.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Gigante de vinhos Italianos agora no Brasil: Collis – Riondo desembarca no país pela primeira vez através da Importadora Italiamais


O que já sucesso no seleto mercado europeu, a Cantine Riondo chega ao Brasil trazendo vinhos vinificados a partir de uvas autóctones do Veneto como de algumas castas mundiais.
                                                         

Criada no ano de 2008, a Collis Group, Collis-Riondo ou Cantine Riondo, como é comumente reconhecida, é verdadeiramente uma realidade no que se refere a um grande produtor de vinhos. É a maior e mais importante na sua região de origem, o Veneto, ao nordeste da Italia. Bem mais do que um produtor, ela é uma grande cooperativa detentora de muitas marcas e de muitos hectares, a qual abrange todas as principais áreas produtoras de vinho desta referida localidade; da região de Valpolicella, ao norte de Verona, à região de Soave, que fica a leste desta mesma cidade, estendendo - se até as províncias de Vicenza e Pádua, onde o Prosecco é cultivado. A uva Glera, da Cantine Riondo é também colhida no Trento, uma região que produz espumantes com excelência, a exemplo do famoso FERRARI. O grupo possui uma área vitícola impressionante de 6000 hectares, representando 15% do total dos vinhedos do Veneto, os quais são cultivados e cuidados meticulosamente pelas mãos de 2.400 agricultores. As principais uvas plantadas são: as autóctones Garganega, Pinot Grigio e Glera, além da Chardonnay para a vinificação de vinhos brancos; Corvina (casta veneta), Merlot e Cabernet Sauvignon para os vinhos tintos.

Sob importação exclusiva da Importadora Italiamais chegam rótulos de três marcas: Riondo, Casa Burti e Lunardi. Da primeira, um dos Proseccos que já é considerado nos EUA um dos mais consumidos, o Riondo Collezzione Prosecco Extra Dry DOC; da Casa Burti chega o spumante rosato Flûte En Rose Casa Burti Extra Dry, cujo  exemplar é um corte de Raboso e Merlot, a primeira, uma outra uva autóctone muito especial e bastante utilizada na produção de espumantes rosés em todo o Veneto e pelos principais produtores deste estilo.

Da marca Lunardi, chegam os rótulos varietais Lunardi Pinot Grigio Delle Venezie IGT, a uva branca queridinha das Américas, a qual exprime flores brancas, aromas citrinos suaves e envolventes; Lunardi Merlot Delle Venezie IGT, outra casta que se adaptou muito bem aos solos da região produzindo vinhos tintos deliciosamente frutados e macios e o Lunardi Cabernet Sauvignon Delle Venezie IGT.

“A Cantine Riondo curiosamente consegue produzir vinhos com qualidade, ainda que em grande volume, um fato particularmente inédito, algo que a Europa já reconhece dado aos diversos concursos mundiais dos quais seus rótulos já foram premiados, a exemplo, O Berliner Wein Trophy da Alemanha e o Internacional Wine And Spirit Competition, da Inglaterra. Certamente o mercado hoje necessita de rótulos com preços acessíveis, mas não abrimos mão da qualidade, conclui Alexandro Paesani, Diretor Comercial da Italiamais".


Lunardi Pinot Grigio Delle Venezie IGT 2015: 100% Pinot Grigio, com notas de flores brancas, frutas tropicais e citrinas. No paladar é fresco, frutado e de boa acidez. Preço para consumidor final: R$ 78,00

Lunardi Merlot Delle Venezie IGT 2015: 100% Merlot, com aroma de cerejas e delicadas notas de violetas. No paladar é frutado, sápido e bem equilibrado. Preço para o consumidor final: R$ 84,00

Lunardi Cabernet Sauvignon Delle Venezie IGT 2015: 100% Cabernet Sauvignon. No paladar é sentida notas de frutas vermelhas combinadas a toques balsâmicos. No paladar é fresco, agradável e com boa fruta. Preço para consumidor final: R$ 84,00
                
Riondo Collezzione Prosecco Extra Dry DOC: espumante vinificado com a casta Glera na região do Trento e com um pequeno percentual de outras uvas brancas da região permitidas para a produção de Prosecco. Apresenta aroma de maça verde e flor de acácia. No paladar é fresco e aveludado. Preço para o consumidor final: R$ 92,00

Flûte En Rose Casa Burti Extra Dry: rosé elaborado com a uva autóctone Raboso (70%) e Merlot (30%). Apresenta aromas delicados de rosas e frutas vermelhas. No paladar é refrescante, agradável e de boa acidez. Preço para consumidor final: R$ 80,00


ITALIAMAIS
A importadora Italiamais trabalha com vinhos exclusivos das melhores regiões da Itália. Com sede em Roma e em São Paulo, diferencia-se pela proximidade com os produtores e a curadoria especial de vinhos de excelente qualidade das melhores regiões da Itália, como Bolgheri – na Toscana –, Sicília, Veneto e Puglia. No portfólio estão os melhores vinhos para o perfil de consumo brasileiro e produtos que são notícia e sucesso no mercado internacional e nos principais restaurantes do mundo. São trazidos ao Brasil com exclusividade pela Italiamais rótulos especiais como o vinho do tenor Andrea Bocelli, o espumante e tintos da milenar Tenute Giucciardini Strozzi e o Brunello di Montalcino Madonna delle Grazie, um dos poucos rótulos no mundo a receber 100 pontos do conceituado crítico de vinhos Robert Parker. Seja exclusivo com a Italiamais.
                                                               
Informações: www.italiamais.com.br
Tel.: (11) 3044 11 16
Deptº de Marketing: marketing@italiamais.com.br – Responsável: Vanda Meneguci

Até o próximo post!
Vanda Meneguci 


domingo, 29 de janeiro de 2017

Um salve ao Ano Novo Chinês com o coquetel Mimosa


Festa popular no bairro da Liberdade. Um dia de festividades, boa gastronomia, danças e inúmeras apresentações típicas, ora, é o final de semana que o bairro da Liberdade, em São Paulo, celebra o Ano Novo Chinês. Junto à família, fomos passar a tarde de sábado curtindo essa comemoração, e como já é de praxe, estou sempre pronta com o meu "kit bebidas" que fatalmente sempre contém, vinho e água, mas desta vez quis portar algo diferente e muito delicioso, um drink clássico porém já preparado. Um Salve ao Ano Novo Chinês com o coquetel Mimosa!

Mimosa é um coquetel clássico, a base de champagne e suco de laranja, muito similar ao drink londrino Bucks Fizz, porém o Mimosa do produtor Canella do Veneto já nos traz essa bebida deliciosa prontinha, prontinha, basta deixa-la gelada e servir em taça flute! Justamente a diferença aqui, vem de Mimosa utilizar Prosecco como espumante, e a laranja na verdade é a laranja da Sicilia, que é também bastante parecida com a nossa laranja, porém com um toque mais citrino e de cor alaranjada bem mais intensa, ela possui a poupa praticamente vermelha! A bebida contém um percentual de 80% de laranja da Sicília e 20% de Prosecco do Veneto.

E para não perdemos o costume, vamos então para o vinho? Ou seja, vamos então ao Mimosa?

Análise organoléptica:
Cor: laranja intenso com borbulhas grandes e de média intensidade. 
Aromas: muito intenso de laranja, evidenciado a citricidade da própria fruta, a qual é bem marcada.
Boca: deliciosa laranja em boca, sentido-se levemente o álcool, com um dulçor moderado e bastante agradável. Para beber e beber novamente. Tão bom quanto o Bellini Canella do mesmo produtor!

Obs: ao harmoniza-lo com o Yakisoba comprado em uma das barraquinhas no evento ficou uma delícia! 

Quem o importa: Expand
Média de preços: R$ 96,00

Até o próximo post!
Vanda Meneguci