quarta-feira, 15 de junho de 2016

ATEO. Um vinho toscano para beber e crer

Minha paixão permeia por vinhos e histórias. Adoro ir sempre além do que vemos no rótulo de uma garrafa e na taça, a eterna indagação de quem é apaixonado por um tema, de querer esmiuçar os fatos, os que de alguma forma enchem os nossos corações de emoção, as quais acabam fatalmente valorizando o próprio objeto. Conheci recentemente o ATEO, um vinho toscano para beber e crer. A história da produção deste rótulo nasce de um desafio, o qual o próprio produtor lança a si próprio ao vinificar um vinho que não fosse então um Brunello, a sua maior especialidade. Isso ocorreu no ano de 1989, ano de safra ruim (duas estrelas), um ano estranho e atípico, entre duas grandes safras excepcionais para o estilo (as safras 1998 e 1990 foram safras cinco estrelas), a qual coincidiu com o primeiras colheitas das castas Cabernet Sauvignon e Merlot nos vinhedos deste então produtor, decidido por fim, elaborar vinhos Brunello apenas em anos de safras de excelência. E é aí que nasce este vinho, um corte bordalês de Cabernet Sauvignon e Merlot, que foi tão bem aceito, que acabou sendo incorporado definitivamente entre os grandes rótulos deste produtor de Montalcino, o Ciacci Piccolomini d`Aragona; felizmente para nós, humildes terráqueos, amantes deste eterno elixir divino. ATEO é mesmo para crer!
Estratégia que deu certo? Sim, super certo!




Então vamos ao vinho?


ATEO 2013
Produtor: Ciacci Piccolomini d`Aragona
Região/País: Montalcino, Toscana - Itália
Uvas: 50% Cabernet Sauvignon, 50% Merlot

Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi intenso com reflexos violáceos e brilhante.
Aroma: grande intensidade de frutas vermelhas como cereja, framboesa e também escuras, como amoras e ameixas (frutas silvestres), além boa expressão na especiaria e nas notas herbáceas.
Boca: é encorpado, estruturado, de retrogosto frutado, taninoso, porém muito elegante, fino e persistente. Um vinhasso! Apaixonante e sedutor.

Quem importa: Italiamais
Preço sob consulta

Até o próximo post!
Vanda Meneguci