domingo, 26 de julho de 2015

E quando a guarda nos revela grandes vinhos?

Sabe aquele velho ditado dos tempos da vovó "quem guarda tem?". Nunca fizera tanto sentido. Claro que quando se estuda e trabalha diretamente com vinhos, sabemos que o chamado infantícídio, ou seja, a prática de se abrir um vinho de guarda antes do tempo necessário é quase como cometer um delito. Mas segurar a vontade e um misto de ansiedade é algo bastante difícil. E aí eu te pergunto: e quando a guarda nos revela grandes vinhos? Constatei que a guarda só trouxe bem-aventurança ao meu palato que pode degustar o vinho Wakefield Estate Shiraz 2009. E a espera e paciência valeram a pena.

Wakefield Estate Shiraz 2009 é um dos grandes vinhos do produtor Taylors Wines localizado na Austrália Meridional, ao Sul, no famoso Clare Valley, região vinícola de forte tradição no cultivo da uva Riesling, mas também de notáveis Cabernet Sauvignon e de expressivos vinhos Shiraz. A vínicola que usufra de um clima continental está situada a 350m acima do nível do mar a qual possui também uma boa diversidade de solos entre terra-rossa e argila vermelha sobre pedra calcária. Uma descoberta inusitada foi feita durante a escavação da barragem da vinícola, onde foram encontrados fósseis de cavalos marinhos junto à  base da pedra de calcário, o que viera apenas a confirmar que essa área, que um dia foi um antigo fundo de mar interno é perfeita para a produção de grandes vinhos. E os três cavalos marinhos que constam no logotipo da marca é também encontrado no rótulo do delicioso Wakefield Estate Shiraz 2009, o meu vinho de guarda!

Vamos então ao vinho?

Wakefield Estate Shiraz 2009
Produtor: Taylors Wines
Região: Clare Valley
País: Austrália
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi granada com halo de evolução.
Aromas: ataque de frutas vermelhas escuras (ameixa e cereja preta), especiarias finas, chocolate, couro.
Boca: no palato é encorpado, de ótima estrutura com frutas ainda muito presentes, muito equilíbrio entre os seus taninos já bem domados, boa acidez e uma longa persistência em boca.
Obs: Minha nota só poderia ser 10. Vinho no ponto e no tempo auge para o consumo. 





Até o próximo post!




domingo, 12 de julho de 2015

Seminário do Vinho Verde 2015

O Seminário do Vinho Verde foi ministrado pelo enólogo da CVRVV Bruno Almeida.
Não era para perder mesmo e eu não perdi. Em mais um ano consecutivo participei do Seminário do Vinho Verde 2015, desta vez, no Centro Universitário Senac Santo Amaro. A CVRVV continua apostando na divulgação, no ensino, na forma de mostrar e apresentar tanto na teoria quanto na prática que o Vinho Verde tem os sabores e alegria que combinam com a culínária brasileira, sendo também o Vinho Verde um par ideal a qualquer hora do dia. E vamos lá, para a parte que mais nos interessa, os deliciosos Vinhos Verdes!




1) Quinta de Curvos Loureiro 2013
Casta: 100% Loureiro
Análise organoléptica:
Cor: amarelo palha citrino e brilhante.
Nariz: notas florais, minerais, fruta tropical, maça verde, frutas citrinas (limão)
Boca: vivo, leve, fresco, frutado e delicioso!




2) Casa de Vilacentinho 2013
Casta: 100% Arinto
Análise organoléptica:
Cor: amarelo palha citrino e brilhante.
Nariz: aromas de maça verde, notas citrinas e de muita complexidade.
Boca: untuoso, frutado, retrogosto persistente; delicioso e muito elegante!




3) Covela 2013
Casta: 100% Avesso
Análise organoléptica:
Cor: amarelo palha citrino e brilhante.
Nariz: frutas frescas citrinas, florais, frutas secas.
Boca: fresco, frutado, equilibrado, saboroso e de boa persistência.




4) Dom Diogo Alvarinho 2013
Casta: 100% Alvarinho
Análise organoléptica:
Cor: amarelo palha citrino e brilhante.
Nariz: frutas tropicais, flores, aromas minerais.
Boca: fresco, frutado, de ótima acidez e persistência.





5) Quinta da Aveleda 2013
Casta: Alvarinho/Loureiro
Análise organoléptica:
Cor: amarelo palha citrino e brilhante.
Nariz: frutas tropicais, melão, maracujá verde, frutas citrinas, floral (rosa), aspargo.
Boca: fresco, frutado, vivo, elegante e persistente.





6) Estreia Rosé 2013
Casta: Castas tintas da região (Vinhão, Borraçal, Espadeiro)
Análise organoléptica:
Cor: rosado brilhante
Nariz: intensidade aromática de frutas vermelhas, morango fresco, cereja vermelha.
Boca: leve, fresco, retrogosto frutado, toque agulha. A primeira vez a gente nunca esquece, não é? E foi a primeira vez que degustei um Vinho Verde rosé. Achei gostoso, descomprometido, atende bem a proposta de frescor e jovialidade que naturalmente os vinhos rosés costumam ter.






Foi mais um seminário excelente. Uma pena foi ver tantas cadeiras vazias diante a uma estrutura organizada esperando por pessoas interessadas a conhecer o que de melhor os Vinhos Verdes tem a oferecer. Fica muito claro que nem sempre as listas de confirmação funcionam, tirando por fim a possibilidade das pessoas realmente interessadas em participar, essas as quais ficaram na lista de espera, como foi o caso de um amigo. Faltou por parte da instituição que o abrigou, aquele famoso plano "B": "convidem quem puder", pois é muito desagradável para um palestrante não ter para quem palestrar!



Até o próximo post!
Vanda Meneguci

domingo, 5 de julho de 2015

Sob o Sol da Luciana


Luciana e Priscila são duas irmãs. Luciana a mais velha e Priscila a mais nova, que nasceu 14 anos mais tarde; Luciana  a adolescente e irmã do meio, Priscila a caçula travessa, que tinha na irmã mais velha seu espelho: usava suas maquiagens, sapatos, destruiu todos os seus brinquedos, os que ela guardaria de lembrança. Coisa de irmãs!

Na vida delas repousa um mesmo sol. O sol da amizade, do amor, da confiança. Priscila é só agradecimentos pelo destino ter lhe dado de presente essa irmã forte, verdadeira e que agora completa mais uma primavera. Sob o Sol da Luciana a maravilhosa Toscana, essa região situada na Itália Central é um destino de sonho, que logo logo deixará de ser um sonho para se transformar em um sonho real sonhado. Essa história é obra da Priscila! O que é certo é que uma viagem em família vai acontecer. Deixarei aqui algumas dicas para a Luciana já se aquecer, para entrar no clima com algumas memórias da Toscana, gastronomia e vinhos fantásticos que ela já pode apreciar daqui, de São José do Rio Preto, no Brasil, com louvores e bis lá no país da bota, na fascinante Toscana!

Andiamo alla Toscana, carissima Luciana!

Toscana é a região das belas paisagens, dos campos de lindos horizontes, de vinhedos e oliveiras, dos ciprestres e girassóis, da famiglia dos Medici! A boa gastronomia é parte presente da cultura e tradição regional.

Sugiro aqui algumas harmonizações clássicas, as quais comumente chamamos de culturais, vinhos e comidas típicas da região. Vamos lá Luciana?


Pappa al Pomodoro: um prato feito com pão amanhecido, tomate, alho e manjericão regados ao azeite em abundância. Como tem muita presença de tomates, torna-se necessária a harmonização com um vinho que tenha fruta, acidez presente e álcool moderado. O vinho Morelino di Scansano é perfeito!
Vinho: Morelino di Scansano. Produtor: Val delle Rose. Onde Comprar: Casa Flora

Bisteca alla Fiorentina: feito de um corte de filé bovino de uma parte bem espessa que contém um osso em forma de T. É uma carne assada no carvão, comumente como o nosso churrasco. Para dar mais sabor à bisteca, posteriormente é salpicado óleo de oliva, pimenta moída e ervas. O vinho Brunello di Montalcino é um vinho encorprado, de boa estrutura, que harmoniza muito bem com carnes vermelhas e que tem muita expressão de frutas e especiarias. Tudo a ver con la nostra bisteca!
Vinho: Brunello di Montalcino. Produtor: Argiano. Onde Comprar: Portus

Panforte: uma sobremesa muito tradicional de avelãs, cacau, amêndoas, frutas cristalizadas, especiarias doces e mel, que é elaborada no fogo até dar o ponto certo de retirada (até que se desgrude da panela, igual ao nosso brigadeiro). Tem a sua origem na cidade de Siena. O vinho perfeito para harmoniza-la é o Vin Santo, o vinho doce de sobremesa italiano que têm em sua característica notas de flores e frutas secas. Perfetto per la nostra Panforte!
Vinho: Vin Santo. Produtor: Poderi del Paradiso. Onde comprar: Casa Flora

Cantuccini: biscoito assado tradicional e tipicamente duro. É elaborado com farinha de trigo, amêndoas sem pele, raspas de laranja, açúcar, sal, ovos e baunilha. Vin Santo com Cantuccini é um harmonização clássica! E é mergulhado ao Vin Santo a forma tradicional de mangiare esses deliciosos biscoitinhos italianos.
Vinho: Vin Santo. Produtor: Poderi del Paradiso
Onde comprar: Casa Flora

Bruschetta: para finalizar a clássica Bruschetta, feita com pão italiano cortado em fatias, regada no azeite e recheada com tomates e folhas de manjericão. Para harmonizar o clássico vinho Chianti.
Vinho: Chianti Antico Colle. Produtor: Antico Colle. Onde comprar: Vinhos on Line


Tantissimi auguri Luciana !














Até o próximo post!
Vanda Meneguci.