domingo, 13 de setembro de 2015

Vinhos do Alentejo 2015

...E assim, as vastas planícies de se perder de vista encantam e fascinam, permeadas de oliveiras e sobreiros, quando não de vinhedos. Esse é o Alentejo. Dia 10 de setembro, última quinta-feira, estive presente no Vinhos do Alentejo 2015, em mais uma iniciativa da EV- Essência do Vinho e o local escolhido pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana para o evento ser realizado, aqui em São Paulo, foi o hotel Intercontinental. A prova de vinhos foi livre para todos aqueles que se inscreveram com antecedência, mais contou também com uma prova especial comentada, ministrada pelo famoso crítico português Rui Falcão. Fiquei mesmo feliz em poder estar livre para conhecer produtores e até mesmo rever alguns especiais e muitas surpresas estavam ainda por vir. Vou contar-las à vocês.

     Sensações e expressões de uma região que revela vinhos elaborados com arte. Taças à mão!


1- Recepção de entrada do evento. 2- Intimista 2013. 3- Raphael Sena. 4-Chaminé 2013. 5-Vinhos Roquevale.        
6- Com Carrie Jorgensen da excepcional Cortes de Cima.


O primeiro vinho que eu degustei foi o Intimista 2013, um vinho tinto do produtor Encostas de Alqueva, um tinto vinificado a partir das uvas Alfrocheiro, Aragonez, Trincadeira e Moreto. "Um vinho feito para agradar o paladar dos brasileiros", conforme me disse Raphael Sena, Sommelier e Wine Hunter que esteve a frente deste projeto de produção. É realmente delicioso, cheio de frutas vermelhas, notas de violeta, especiarias e chocolate. É também um vinho pronto, com taninos macios, médio corpo e bom equilíbrio. Uma boa aposta da importadora que o traz para o Brasil, a World Wine, que atende perfeitamente a relação de bom custo-benefício. Ao sair da primeira estação de vinhos, fui rapidamente para a Cortes de Cima, era a minha grande expectativa neste evento. Conheci estes maravilhosos vinhos no ano passado e tive ainda a oportunidade de participar de uma degustação especial conduzida pelo enólogo Hamilton Reis (clique para ver detalhes desta degustação), então a minha ansiedade era tamanha, em degustar mais uma vez esses vinhos excepcionais e por também admirar o produtor. A Carrie Jorgensen estava lá realizando o serviço de vinhos, fiquei emocionada em conhece-la de perto, sou sua fã. Ela fez questão de nos servir (eu e um amigo) com uma atenção e carinho muito especiais, eu não poderia imaginar algo diferente daquela mulher, ela é realmente como imaginava, a simplicidade em pessoa. E esse meu amigo a partir dali fatalmente também virou um fã. Disse eu à Carrie no início da prova de vinhos, ainda um pouco tímida: "Sou blogueira, Sommelière, e conheço a sua história e seus maravilhosos vinhos. Difícil é dizer aqui qual deles é o melhor. Eles são todos muito bons e muito particulares". E ela me respondeu com um sorriso: "É verdade. Para mim são como se fossem filhos, todos diferentes porém no amor é igual". Ela resumiu tudo!

Comento aqui sobre o Chaminé 2013, um corte das castas Aragonez, Syrah e Touriga Nacional. Tem aromas muito intensos de frutas do bosque (framboesa, cereja, amora) é  fresco em boca e muito equilibrado, simplesmente delicioso. E por fim, estava lá, o Cortes de Cima 2013 branco, que foi considerado no início deste ano entre mais de 3500 vinhos diferentes o melhor branco do mundo pelo conceituado concurso Vinalies Internationales (França).

Saindo da Cortes de Cima, fui degustar os vinhos Roquevale, o Reserva Tinto 2009 e o Grande Reserva Tinto 2009, ambos muito bons, porém o Reserva Tinto 2009 ao meu gosto estava muito melhor, ainda com boa expressão de fruta, notas de torrefação, couro e um caramelo muito evidente.


7-Margarida Tinto 2009. 8-Tiago Cabaço Alicante Bouschet 2011. 9-Herdade do Gamito 2009. 10-Gamito Alicante Bouschet 2011. 11-Amantis Branco 2011 e Amantis Tinto 2009. 12- Reguengos Alentejo 2008 Garrafeira dos Sócios. 

Ao lado estavam os vinhos dos produtores Monte dos Cabaços e Tiago Cabaço. Degustei o Margarida Branco 2011 e o Margarida Tinto 2009. O branco, um 100% Encruzado, com uma pequena parcela que estagiou em barricas de carvalho francês dando um toque de tostado nas frutas deliciosamente brancas maduras, e o tinto um também, 100% Alicante Bouschet, de cor escura, com notas de frutas vermelhas e florais intensos e com madeira bem integrada, deliciosamente equilibrado e persistente na boca. O Tiago Cabaço Alicante Bouschet 2011 seguiu a mesma linha.

Conheci o produtor Herdade do Gamito, e mais uma grande surpresa. Pela primeira vez no Brasil, buscando um importador. Esse produtor com apenas 27 hectares de vinhedos é uma jóia rara. Herdade do Gamito 2009 é um vinho que está no ponto. Não há nada mais a acrescentar. Aromas intensos de frutas vermelhas, especiarias e com bastante complexidade. Foi vinificado a partir das castas Syrah, Alicante Bouschet, Trincadeira Preta e Merlot. Gamito Alicante Bouschet 2011 não fica atrás, maravilhoso também, com notas de frutas escuras maduras intensas, encorpado, elegante e persistente.

Os dois rótulos Amantis (branco e tinto, safras 2011 e 2009 respectivamente) do produtor Dona Maria - Júlio Bastos são realmente excepcionais. O branco, um Viognier fermentado em barricas de carvalho frânces de 400 L, tem aromas intensos de frutas tropicais e florais, acidez, bom corpo, elegância e persistência. Inesquecível. Já o tinto é um de corte das clássicas francesas Syrah, Petit Verdot, Cabernet Sauvignon e da portuguesa Touriga Nacional de parcelas iguais (25%). Dado ao seu corte de muitas castas, é um vinho de aromas muito complexos, de frutas silvestres maduras, especiarias e menta, com taninos sedosos, de final longo, fresco e persistente. Mais um vinho memorável. E para finalizar essa grande prova, encerrei com Reguengos Alentejo 2008 Garrafeira dos Sócios, um corte das castas Aragonez, Trincadeira e Castelão. Este é um vinho de fato muito especial, elaborado com uvas colhidas manualmente. É submetido a provas regulares ao longo do processo de sua vinificação sendo separado, por fim, o mosto em dois lotes, onde o melhor resulta O Garrafeira dos Sócios. Possui aromas de frutas maduras, passas, especiarias, coco e baunilha. Tem taninos muito elegantes, corpo e muita persistência em boca. Simplesmente incrível.

Vinhos do Alentejo 2015 - Produtores presentes e seus respectivos importadores no Brasil:

Adega Cooperativa de Portalegre - Importador: Meireles e Barros, LDA.
Adega de Borba - Importador: Adega Alentejana
Adega do Monte Branco - Importador: Magnum Importadora
Cartuxa-Fundação Eugênio de Almeida - Importador: Adega Alentejana
Casa Santa Vitória - Importador: Vila de Arouca
Cortes de Cima - Importador: Adega Alentejana
Dona Maria - Júlio Bastos - Importador: PPS Importadora
Encostas de Alqueva - Importador: Grupo Asa Goumert
Enoforum/ CARMIM Group - Importador: Porto a Porto, IMP. E EXP.
Ervideira - Importador: Caves Santa Cruz
Esporão - Importador: Qualimpor
Herdade do Gamito - Sem Importador
Herdade do Peso - Importador: Zahil Importadora, LDA.
Herdade dos Coelheiros - Importador: Mistral
Herdade dos Coteis - Importador: Hortifruti - Hortigil
Herdade Outeiro de São Romão - Importador: Meireles e Barros, LDA.
Herdade São Miguel - Importador: RJU Comércio e Beneficiamento
José Maria da Fonseca - Importador: Decanter Vinhos Finos, LDA.
Mingorra - Henrique Uva - Importador: DEVINUM
Monte da Ravasqueira - Importador: Vinci
Monte do Pintor - Importador: Adega Alentejana
Monte dos Cabaços, Lda. - Importador: Adega Alentejana
Mouchão - Importador: Adega Alentejana
Paulo Laureano Vinus - Importador: Adega Alentejana
Pêra - Grave - Importador: Meireles e Barros, LDA
Quinta do Mouro - Importador: Épice Importação
Roquevale - Importação: Adega Alentejana
Tapada do Fidalgo - Importação: Adega Alentejana
Tiago Cabaço - Importação: Adega Alentejana

Até o próximo post!
Vanda Meneguci