sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Master Class Porto & Douro Internacional Wine Tasting - Vinhos do Douro


Os vinhos de Portugal vão fechar o ano com chave de ouro, ouro que combina com Porto e Douro. Divulgado recentemente o TOP 100 da Wine Spectator, a mais influente publicação de vinhos do mundo, onde 3 vinhos nos 4 primeiros lugares são desta região e que mereceram todas essas estrelas: 1º lugar para um vinho do Porto, 3º e 4º lugares para os vinhos da região do Douro. E foi assim que Rui Falcão, o grande crítico de vinhos portugueses abriu a Master Class do Douro, dando ênfase para o reconhecimento destes excelentes vinhos, e claro, à supremacia da região, e como ele mesmo disse: "Isso não foi à toa". A região do Douro é uma região muito difícil para o cultivo de vinhos. A região é montanhosa, sem a variação climática tão necessária para o bom desenvolvimento das parreiras, sendo muito fria no inverno e extremamente quente no verão. Para que tudo desse certo, a região recebeu a intervenção da mão humana criando uma nova forma de plantio, o socalcos, onde as montanhas são cortadas como degraus de uma escada suportados por muros de pedra preenchidos por terra para que pudesse existir a possibilidade de cultivo. Isso aconteceu há mais de 500 anos, e o hoje os socalcos fazem parte de algo único, classificados como Patrimônio Mundial. Mas vamos ao que interessa, as grandes estrelas durienses.

Para a Master Class Douro, foram selecionados 8 rótulos. Vamos então para os vinhos?


1) Vértice Millèsime safra 2009
Produtor: Vértice
Castas: Malvasia Fina, Códega, Touriga Franca, Gouveio, Rabigato, Viosinho.
Cor: amarelo palha citrino com perlage finas e abundantes.
Aromas: brioche, defumado, notas florais, frutas brancas de caroço.
Boca: seco, fresco de ótima acidez.
Obs: Este vinho ficou em 2º lugar na TOP Ten - Grandes espumantes e brancos da Expovinis Brasil 2014 espumantes internacionais. Este espumante é considerado de qualidade superior, cuja produção ocorre apenas em anos de safras excepcionais.




2) Papa Figos safra 2012
Produtor: Casa Ferreirinha - Sogrape Vinhos
Castas: 40% Touriga Franca, 30% Tinta Roriz, 15% Touriga Nacional, 15% Tinta Barroca.
Cor: vermelho rubi intenso com reflexos violáceos.
Aromas: frutas vermelhas maduras, framboesa e ameixas.
Boca: médio corpo, frutado, taninos macios.
Obs: Papa Figos é o nome de um pássaro da região e ilustra este lindo rótulo. Um bom vinho jovem com bastante expressão de fruta.





3) Compota safra 2010 
Castas: 100% Touriga Nacional
Cor: vermelho granada com halo de evolução.
Aromas: frutas maduras, defumado, toques mentolados.
Boca: seco, taninos duros, com bastante frescor.
Obs: Gastronômico, frutado e com bastante frescor.







4) Inquieto safra 2010
Castas: 100% Touriga Nacional
Cor: vermelho granada com halo de evolução.
Aromas: frutado, floral, chá, notas citrinas, coco
Boca: retrogosto frutado, seco, com bastante frescor.
Obs: Gastronômico e muito gostoso. Amei! 






5) Gloria Reserva safra 2011
Produtor: VLF Vinhos
Castas: 50% Touriga Nacional, 25% Tinta Roriz, 25% Touriga Franca.
Cor: vermelho rubi com leve halo de evolução.
Aromas: frutas vermelhas, framboesas, toques florais (violetas) e especiarias.
Boca: frutado, macio, e muito elegante.
Obs: A seleção das castas é proveniente de vinhas velhas. Delicioso.






6) Cedro do Noval safra 2010
Produtor: Quinta do Noval
Castas: Syrah, Touriga Franca, Touriga Nacional
Cor: vermelho rubi com lágrimas abundantes.
Aromas: frutas vermelhas, cerejas, especiarias e defumado.
Boca: encorpado, aveludado, final de boca longo e persistente.
Obs: Um vinho de bastante elegância.


                                        


7) Quanta Terra Grande Reserva safra 2010
Castas: (65%) Touriga Nacional, (20%) Tinta Barroca, (13%) Touriga Franca, (2%) Sousão
Cor: vermelho rubi 
Aromas: frutas silvestres, floral, notas especiarias, chocolate.
Boca: frutado, elegante, com grande intensidade em boca, final longo persistente.
Obs: Um vinho muito delicioso, tudo muito bem integradinho. Gostei muito!






8) Murças Reserva safra 2009
Produtor: Quinta dos Murças
Castas:Tinta Roriz, Tinta amarela, Tinta Barroca, Touriga Nacional, Touriga Francesa, Sousão (provenientes de vinhas velhas)
Cor: vermelho rubi intenso com reflexos violáceos.
Aromas: frutas vermelhas, especiarias, cacau.
Boca: encorpado, equilibrado e bastante elegante.
Obs: Gastronômico, que acompanharia perfeitamente um Ossobuco.



Até o próximo post!
Vanda Meneguci.

domingo, 23 de novembro de 2014

Porto & Douro Internacional Wine Tasting 2014

Mais de duas dezenas de produtores de Vinhos do Porto e Douro apresentam-se nos EUA, no Canadá e no Brasil para promover os últimos lançamentos e também as referências mais icónicas, através de provas livres e master classes, estas últimas conduzidas pelo crítico de vinhos português Rui Falcão.
Rui Falcão
















As ações terão lugar nas cidades de Nova Iorque (Metropolitan Club) e Washington (The Willard Washington DC Hotel), das 15h às 18h; Toronto (Sheraton Centre Toronto Hotel), Montréal (Hyatt Regency Montréal), Rio de Janeiro (Caesar Park Rio de Janeiro Ipanema) e São Paulo (Pullman Vila Olímpia - Caesar Business Faria Lima), das 15h às 20h.


Uma iniciativa do IVDP - Instituto dos Vinhos do Douro e Porto, com produção daEV-Essência do Vinho.

Inscrições online / Brasil:
http://cadastro.portodourointernationaltasting.com



Fonte: http://www.essenciadovinho.com/


Até o próximo post !

Vanda Meneguci

domingo, 16 de novembro de 2014

Degustação de vinhos espanhóis ABS-SP e ICEX


Dia 12 de dezembro foi o dia da Espanha na ABS-SP. A Associação junto à ICEX (entidade pública empresarial de promoção e incentivo à internacionalização das empresas espanholas) realizou um evento com a finalidade de propagar os vinhos espanhóis através de um
tour por suas determinadas regiões produtoras em seus diferentes estilos. Dados de mercado revelam que os vinhos espanhóis são os que mais crescem no país (ocupam o 3º lugar na produção mundial de vinhos possuindo a maior área de uvas plantadas no mundo, atingindo a marca de 13,52%) já superando o percentual de 21% de crescimento no ano de 2013*. Foram degustados 9 vinhos, variados entre eles, dos mais simples aos mais bem elaborados. Brilharam seus vinhos e suas uvas autóctones, entre Garnacha e Tempranillo e até suas parentas importadas da França, como a Cabernet Sauvignon e Syrah, essas últimas em corte no delicioso ABADAL 3.9.

Vamos então para os vinhos?

1) Pinna Fidelis safra 2012
Produtor: Pinna Fidelis
Região: Castilla Y León / Rueda
Casta: 100% Verdejo
Análise organoléptica:
Cor: amarelo dourado com reflexos verdeais
Aromas: herbáceo, mineral, limão.
Boca: boa acidez, bom volume de boca.
Obs: Vinho simples, despretensioso. Tem bom volume de boca, mas senti uma notinha acética que não me agradou muito.
Importadora: AD Caves
R$ 48,00


2) Bandido safra 2013
Produtor: Bodegas Milenium
Região: Vino de España
Casta: 60% Tempranillo, 40% Garnacha
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi.
Aromas: ameixa vermelha, alguma nota floral e tabaco.
Boca: leve, frutado e fresco.
Obs: Um vinho jovem, frutado e simples, um vinho para o dia-a-dia.
Importadora: Commar Comércio
R$ 40,00


3) Finca La Estacada safra 2011
Produtor: Bodegas Finca La Estacada
Região: Castilla La Mancha / Uclés
Casta: 100% Tempranillo
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi intenso.
Aromas: frutas vermelhas, baunilha, coco, especiarias.
Boca: frutado, equlibrado, taninos finos, boa persistência em boca.
Obs: Moderno e Gastronômico. 
Importadora: Woo do Brasil
R$ 55,00


4) Dominio Campo Viejo safra 2007
Produtor: Bodegas Campo Viejo
Região: Rioja DOCa
Castas: Tempranillo, Garnacha, Mazuelo
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi granada de média intensidade com halo de evolução.
Aromas: frutas secas, ameixas, notas terrosas, especiarias.
Boca: boa intensidade de frutas, taninos macios e aveludados; boa persistência em boca.
Obs: Elegante, macio, delicioso, adorei!
Importadora: Casa Flora
R$ 150,00


5) Herencia Altés Garnatxa Negra safra 2013
Produtor: Herencia Altés
Região: D.O Terra Alta
Castas: 100%  Garnatxa (Garnacha)
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi de média intensidade.
Aromas: frutas vermelhas e especiarias.
Boca: jovem, fresco e frutado.
Obs: Um vinho pouco impactante, pelo valor de custo optaria por outros vinhos.
Importadora: Nova Fazendinha
R$ 66,00


6) Abadal 3.9 safra 2009
Produtor: Bodegas Abadal
Região: Catalunha / Pla de Bages
Castas: (85%) Cabernet Sauvignon (15%) Syrah
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi intenso com halo de evolução e lágrimas retintas.
Aromas: frutas escuras, especiarias, couro, e com certa complexidade.
Boca: encorpado,  macio, equilibrado, final longo e de longa persistência.
Obs: Gostoso, fino e muito elegante em boca.
Importadora: Decanter
R$ 147,50


7) Linaje Garsea Crianza safra 2010
Produtor: Bodegas y Viñedos Linage Garsea
Região: Castilla y León /Ribera del Duero
Castas: 100% Tempranillo
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi de média para alta intensidade com lágrimas retintas e halo de evolução.
Aromas: fruta vermelha madura, coco, chocolate, especiarias.
Boca: frutado, equlibrado e boa persistência em boca.
Obs: Para quem é fã de vinhos Tempranillo como eu vai amar este vinho!
Importadora: Brasil Explorer
R$ 77,80


8) Viña Pedrosa Crianza safra 2009
Produtor: Pérez Pascuas
Região: Castilla y León /Ribera del Duero D.O
Castas: 100% Tempranillo
Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi granada para o atijolado com halo de evolução.
Aromas: cerejas, violetas, café, madeira delicada, carvalho bem integrado.
Boca: taninos macios e muito elegantes, boa acidez, equilibrado, final longo e muito persistente.
Obs: Maravilhoso, perfeito, o melhor em prontidão.
Importadora: Mistral
R$ 188,81


9) Marina Espumante
Produtor: Bodegas Bocopa
Região: Alicante/La Marina
Castas: 100% Moscatel de Alexandria
Análise organoléptica:
Cor: amarelo palha com reflexos verdeais.
Aromas: rosas, floral, cítrinos.
Boca: frutado, boa acidez, dulçor.
Obs: Um vinho espumante método Asti, de uma única fermentação. Agradável para quem gosta de espumantes doces e bastante indicado para o verão.
Importadora: Wine Lovers
R$ 75,00

Até o próximo post!
Vanda Meneguci


*Fonte: ICEX

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Degustação com Mateus Nicolau de Almeida, produtor e enólogo da Muxagat Vinhos


A paixão pelos vinhos é uma herança que transcende gerações na família de Mateus Nicolau de Almeida, na verdade o orgulho é tanto que são eles, avô e pai, a grande influência na vida do jovem enólogo, não apenas pela forma de fazer bons vinhos, mas também em sua forma de ser e estar na vida. Neto de Fernando Nicolau de Almeida, criador do mítico Barca Velha, (Casa Ferreirinha) o vinho mais emblemático de Portugal e filho do respeitável enólogo da casa Adriano Ramos Pinto, João Nicolau de Almeida. O know how para elaborar bom vinhos está no sangue, e posso resumir em uma frase? Que geração de peso! Tudo começou em Muxagata, na freguesia portuguesa de Vila Nova Foz Côa, localidade inserida na Região Demarcada do Douro. No ano de 2003, deu-se a criação do seu primeiro vinho, nascendo a Muxagat Vinhos (Mocho = Coruja e Gato). Hoje a Muxagat funciona em uma nova instalação, em uma antiga adega de granito na Mêda (a 600m de altitude). A técnica que Mateus utiliza é de vinificação das uvas de baixa altitude com as uvas de alta altitude para a obtenção de um blend perfeito, além do cultivo das vinhas receber aplicação dos métodos biodinâmicos, produzindo uvas de sabor muito mais intenso. Isso eu e os demais presentes certamente sentimos na degustação realizada no Refúgio Enoteca e Bistrô no último dia 5 de novembro.

Mateus Nicolau de Almeida
Vamos então para os vinhos ?

Mux Branco safra 2011
Castas: 80% Rabigato, 20% Vinhas Velhas
Análise organoléptica:
Cor/Visual: amarelo palha claro e brilhante.
Aromas: frutas brancas de caroço, (pêra, pêssego) nuances florais e bastante mineralidade.
Boca: médio peso, untuoso, frutado, fresco, de excelente acidez, e longa persistência em boca.
Obs: Um vinho delicioso, de uma acidez fantástica, tudo em perfeito equilíbrio. Ideal para harmonização com saladas, peixes ou  simplesmente para apreciar em dias quentes de verão (super recomendo)  



Mux Tinto safra 2009
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca e Sousão
Análise organoléptica:
Cor/Visual: vermelho rubi intenso.
Aromas: frutas vermelhas, notas balsâmicas, menta e leve chocolate.
Boca: encorpado, frutado, equilibrado e grande persistência em boca.
Obs: Delicioso vinho de corte de uvas autóctones do Douro. Um vinho gastronômico que pede um acompanhamento de carnes de peso, gordurosas. 

Nos prêmios “Os Melhores do Ano” da revista WINE, a cidade do Porto foi eleita “Destino Gastronómico do Ano 2013”. A redação da publicação elogia o cosmopolitismo da cidade, realça o crescente número de turistas, muito interessados em descobrir o produto “gastronomia e vinhos”, e nota o aumento da oferta enogastronômica. A Muxagat  Vinhos foi eleita como “Produtor Revelação do Ano”, Douro. Fonte: http://www.viniportugal.pt/


Onde comprar: Refúgio Enoteca e Bistrô
Avenida Lavandisca, 519 - Moema/São Paulo
Tel: (11) 2506 81 30
http://www.refugioenotecaebistro.com.br/



Até o próximo post!
Vanda Meneguci

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Degustação de Vinhos Italianos na Oficina de Pizzas.




Quatro vinhos, quatro estilos e quatro castas autóctones; três da Sicília e uma do Noroeste da Itália, da região do Piemonte. Os quatros vinhos selecionados para essa degustação foram vinhos jovens, despretenciosos e fáceis de beber, mas claro que um ou outro mereceram destaque, e nesta noite foi o Pinot Grigio Mandorla safra 2013. Faço das palavras da caríssima Fernanda Vianna as minhas que evidenciou a forte tendência de procura e aceitação no mercado nacional para vinhos da casta Pinot Grigio, já apontada como a queridinha do momento, produzindo vinhos geralmente não muito aromáticos, mais de excelente acidez,   frutas brancas de caroços (pêssego, maçã verde) e citrinas como o limão. Todos os vinhos apresentados na degustação (com exceção ao Barbera) são da MGM Mondo del Vino que com pouco menos de 20 anos de existência já se tornou um dos 15 maiores exportadores de vinhos da Itália chegando a distribuir suas diversas marcas e rótulos a mais de 40 países.



Vamos então para a degustação dos vinhos?


1) Mandorla Pinot Grigio safra 2013
Produtor: Mandorla (MGM Mondo del Vino)
Casta: 100% Pinot Grigio
Análise organoléptica:
Cor/ Visual: amarelo palha.
Aromas: frutas brancas de caroço (maçã verde, pêssego) citrinas (limão) e um leve toque floral.
Boca: fresco, frutado, muito equilibrado, com uma acidez deliciosa e final persistente.
Obs: casei com este vinho, ele tem um ótimo custo benefício, uma belíssima apresentação de rótulo. O melhor vinho degustado da noite!

2) Nero D´Avola Angelo safra 2013
Produtor: Angelo (MGM Mondo del Vino)
Casta: 100% Nero D´Avola
Análise organoléptica:
Cor/ Visual: vermelho rubi de média intensidade
Aromas: frutas vermelhas e um leve defumado.
Boca: taninos mais duros, pouca presença de fruta.
Obs: apresentou desequilíbrio, o qual ficou bastante evidente em boca, sobrando muito álcool.

3) Terza Generazione Barbera safra 2013
Produtor: Angelo (Ricossa)
Casta: 100% Barbera
Análise organoléptica:
Cor/ Visual: vermelho rubi de média intensidade.
Aromas: frutas vermelhas e framboesas, notas muito características da casta. 
Boca: frutado, boa acidez em boca, taninos equilibrados e boa persistência.
Obs: jovem, frutado que harmonizaria bem com massas de molhos vermelhos e porque não com um carpaccio de cogumelos?

4) Mandorla Primitivo safra 2013
 Produtor: Mandorla (MGM Mondo del Vino)
Casta: 100% Primitivo
Análise organoléptica:
Cor/ Visual: vermelho rubi de média para alta intensidade.
Aromas: frutas vermelhas, framboesas, toque herbáceo (hortelã), notas balsâmicas e de certa complexidade nos aromas.
Boca: frutado, equilibrado, boa persistência em boca.
Obs: um Primitiivo muito gostoso, mas muito diferente do que se espera da casta, que geralmente tem presença de frutas escuras e chocolate; fácil de beber, surpreendeu mais no paladar. Lindo também no rótulo!

Fernanda Vianna e Vitor Lotufo
ministraram a degustação dos vinhos











 






Até o próximo post!
Vanda Meneguci

domingo, 2 de novembro de 2014

Coxinha de frango frito empanada e Lumà Grillo

Vinhedos da Cantina Cellaro, Sicília. Utiliza recursos de
energia renováveis, como a eólica.
Sabadão em casa, almoço in famiglia, e um baita calorão. Coxinha de frango frito para mim é uma delícia, é um prato que eu adoro desde criança, e cá pra noís? é democrático, delicioso para petiscar num boteco e delicioso petiscar com as minhas sobrinhas que as devoraram, mas claro que enquanto elas bebiam refrigerante, eu estava pensando em harmoniza-las com vinho branco, com uma casta lá da Sicilia, a Grillo, uma uva autóctone não muito conhecida aqui no Brasil, pois infelizmente não há muita variedade disponível no mercado, mas tem um produtor...hum...que eu garanto a qualidade: Cantina Cellaro! A Cantina Cellaro está situada em Sambuca di Sicília, na comuna de Agrigento e faz parte do grande grupo Farnese, que entre outras detém os produtores Caldora, Vigneti Del Vulture, Vigneti Zabù, Vesevo, Vigneti Del Salento e  Fantini Farnese
Vale dos Templos, Agrigento.

Degustei o Lumà Grillo  há mais de um ano em um evento realizado aqui em São Paulo ministrado pela grande enóloga italiana Barbara Tamburini; não me esqueci deste vinho, vinho tem memória e os que nos causam boa impressão ficam registrados, assim como o perfume. A Grillo é perfumada, tem tipicidade. Tem flores, frutas tropicais e brancas de caroço, toque de limãozinho siciliano, é claro. É leve, saboroso, e um ótimo acompanhante para o verão. E porque não para o frango frito?


 



Vamos lá para o Lumà Grillo, analisar com ele se saiu neste teste de harmonização?

O vinho: Lumà Grillo 2012
Produtor: Cantina Cellaro
Casta: 100% Grillo
Análise organoléptica:
Cor/Visual: amarelo palha com reflexos verdeais bastante sutis.
Aromas: frutas brancas, maçã verde, frutas tropicais, (alguma sugestão para abacaxi) um toque também sutil de limão e floral bastante evidente.
Boca: fresco, frutado, persistente em boca e de boa acidez.
Na harmonização com Coxinha de frango frito empanada: Na harmonização com vinho, a sensação foi bastante equilibrada e por mais que  o prato se tratara de uma fritura, não sobrepôs o sabor delicado de flores e frutas deste gustoso vino, deixando um delicioso frescor em boca. O vinho estava bem geladinho. Aprovado!



Onde comprar o Lumà Grillo 2012?
Metapunto: http://metapunto.com.br/

Até o próximo post!

Vanda Meneguci.