quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Grande Degustação dos Vinhos de Portugal 2014

Um evento imperdível, certamente. Com iniciativa da Vinhos de Portugal, aconteceu no dia 26 de agosto a Grande Degustação dos Vinhos de Portugal 2014 no Rosa Rosarum, em São Paulo Capital. Lá os presentes entre imprensa especializada, profissionais do setor e apreciadores dos respeitosos vinhos portugueses puderam deliciar-se e perder-se num verdadeiro mar de variedades de produtores, estilos, castas e regiões. Vinhos do Douro, Alentejo, Península de Setúbal, Dão entre outras regiões abrilhantaram o evento trazendo rótulos e produtores já consagrados e produtores em busca de importador. Vamos lá para o show das garrafas?

Julia Kemper  é um produtor de vinhos orgânicos da região do Dão. Seus rótulos lindos e delicados não agradam somente os olhos, mas também a boca. Elpenor 2010 é um vinho elaborado com o corte das principais castas da região: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro e Jaen. De aroma bastante frutado, encorpado e elegante. No mesmo corte o Julia Kemper Tinto 2009 é um vinho de coloração rubi, frutado, com notas de especiarias e variação entre frutas vermelhas e escuras. De boa estrutura agradou muito. Por último, neste produtor, o Julia Kemper Touriga Nacional 2010, um pouco incomum por ser essa uma casta que geralmente está presente junto a outras castas na produção de vinhos de corte, é um vinho encorpadão, de boa estrutura e de aromas mais complexos, com grande potencial de envelhecimento. Uma grande aposta. Importador: Brascod.


Outro produtor que encantou foi o Herdade da Comporta da região da Península de Setúbal. Herdade da Comporta 2013, um vinho branco com o corte de Arinto e Antão Vaz. Aromas citrinos muito característicos da casta Arinto. Sem importador no Brasil (uma grande oportunidade para os importadores, pois os vinhos são todos de grande qualidade).



Quinta da Romaneira, um grande produtor já consagrado e reconhecido. Por ele passei de degustei o Quinta da Romaneira Branco 2012, um delicioso vinho com o corte de Malvasia Fina e Gouveio, um vinho de caráter mineral, notas de cedro e  boa acidez. Fantástico também o Quinta da Romaneira Rosè 2012 produzido com as castas Tinta Roriz e Touriga Franca. Morangos e Framboesas veem à boca, somados a equílbrio e frescor. Para um fim de tarde de verão, piscina e churrasco é mais que perfeito. Importador: Portus.




Quinta de Covela, da região Vinho Verde com seus  três vinhos verdes brancos: Quinta de Covela Edição Nacional Arinto Vinho Verde DOC 2013, realmente fantástico. Também não deixaram nada a desejar o Quinta de Covela Avesso Vinho Verde DOC 2013 e o Quinta de Covela Escolha Branco 2013, um corte das castas Avesso e Chardonnay.
Importador: Magnum

Outros três rótulos me despertaram atenção: Foz Vinho Verde 2013, do produtor Quinta da Foz da região do Douro; o Evidência Tinto 2012, com o seu corte típico do Dão (Tinta Roriz, Touriga Nacional e Alfrocheiro), e o Montaria Tinto 2013 da região do Alentejo, corte de Trincadeira, Aragonês e Alicante Bouschet. Frutas vermelhas em boca, onde denota-se estrutura e taninos suaves. Fácil de beber, ainda que jovem, mais fácil ainda de gostar. Adorei!



Até o próximo post!
Vanda Meneguci

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Road Show Inovini 2014 no VIP Rei dos Whisky´s & Vinhos


A Inovini, divisão de vinhos da importadora Aurora, promoveu nesta última sexta-feira, dia 22 de agosto, o Road Show Inovini 2014 no VIP Rei dos Whisky´s & Vinhos na sua loja em Moema, São Paulo-Capital.

Seis produtores de peso estiveram presentes, entres eles: Allegrini (Itália), Doña Paula (Argentina), Gonzalez Byass (Beronia - Tio Pepe, Espanha), Laurent-Perrier (França), Undurraga (Chile) e Valduero (Espanha). Foi uma ótima oportunidade para consumidores locais, sommeliers e restaurantes conhecerem os excelentes vinhos em uma flexível variedade de preços. Alguns produtores já me eram bastante familiares, como a Undurraga com suas linhas pra lá de fantásticas: degustei o delicioso e frutado Aliwen Reserva Sauvignon Blanc 2013, assim como o TH Sauvignon Blanc Lo Abarca 2012. Ainda no produtor Undurraga, o expressivo Sibaris Reserva Especial Syrah 2012, TH Pinot Noir Leyda 2012 e o TH Carménère Peumo 2012. Aplausos também para Doña Paula: vinhos de qualidade excepcional. Entre os brancos, destaque para Doña Paula Los Cardos Sauvignon Blanc 2012 e Doña Paula Selection Bodega Chardonnay 2008; e entre os tintos, Doña Paula Los Cardos Syrah 2011 e Doña Paula Selection Bodega Malbec 2008. Das vinícolas espanholas presentes, o já consagrado Beronia Crianza 2010 e Beronia Reserva D.O.Ca.2009 e Finca Constancia V.T. Castilla 2011, um blend composto de 6 castas, com predominância em Syrah, bastante complexo, de excelente estrutura. Um vinhaço! Do produtor Valduero o Garcia Viadero Blanco de Albillo 2013 me agradou muito. Frutas cítricas, notinhas florais, com frescor e boa acidez. Um vinho produzido 100% com a casta autóctone Albillo. Valduero Crianza 2010, um tradicional Tempranillo (Tinto Fino em Ribera del Duero) com notas de frutas vermelhas maduras e especiarias. Da vinícola Allegrini, um dos melhores produtores do nordeste da Itália, não pude deixar de degustar o Pinot Grigio Corte Giara 2011, frutado, fresco e muito delicado, é o estilo de vinho gostoso e levinho que sempre cai bem, e o ícone Amarone Corte Giara 2011. Não poderia deixar de citar a Laurent Perrier
com seu o Cuvée Rosé Brut que estava no ponto: morangos e frutas silvestres nas sensações aromáticas - gustativas somadas a boa temperatura de serviço, frescor, maciez e estrutura que as casas de Champagne possuem!
Para quem esteve presente, a tarde na Rei dos Whisky`s foi mesmo de rei!

Visite a Rei dos Whisky´s para conhecer a sua ótima seleção de bebidas e alimentos importados:

Endereço: Rua Inhambú, 402 - Moema - São Paulo - SP
Horário de Funcionamento: de Segunda das 13h às 20h, de Terça à Quinta das 10h às 20h, Sexta e Sábado das 9h às 20h e de Domingos e Feriados das 9h30 às 14h.

http://www.reidoswhiskys.net.br/

Até o próximo post!
Vanda Meneguci.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Dunamis brinda audições e reforça os cinco sentidos


 Patricia Brentzel 
(Sommelière)
Uma proposta interessante e que se completa: vinhos e audição. E foi assim que a CH2A Comunicação, agência responsável pelas ações de marketing da Dunamis, captou o espírito do jovem enólogo da vinícola, Thiago Pertele, realizando uma ação de marketing para aguçar os cinco sentidos de bons ouvintes e convidados do projeto Audições YBMusic. Três músicos independentes, três datas no mês de agosto onde os convivas podem se deleitar com sons de primeira linha, apreciando bons vinhos. É em momentos assim que eu sinto o despontar dos cinco sentidos, sentada com uma taça na mão, ontem senti o que todos ali certamente sentiram: sensações visuais, olfativas, táteis, gustativas e auditivas, essas, não com o tilintar de taças, mas sim com boa música!


Vinhos jovens, descomplicados e fáceis de beber e principalmente de gostar, servidos pela simpática  e experiente Sommelière Patrícia Brentzel. Os vinhos escolhidos foram 4 rótulos que integram a Elementos, linha de entrada do produtor. Foram eles: Ar Brut e Ar Moscatel (espumantes), Ser (branco tranquilo com corte de Sauvignon Blanc e Chardonnay), e o delicioso e frutado Cor (tinto com corte de Cabernet Sauvignon e Merlot). 


Conheça a Dunamis Vinhos: www.dunamisvinhos.com.br 

Linha Dunamis Elementos: Cor, Ser e Ar

Degustação da linha Elementos na recepção

Ontem foi a vez do novo disco do cantor e compositor Rômulo Fróes, com "Barulho Feio"; na próxima semana, no dia 25 de agosto, Pipo Pegoraro apresenta "Mergulhar Mergulhei", o seu mais novo trabalho. Ainda passou pelo mesmo projeto, no dia 13 de agosto, a cantora Lurdez da Luz com a audição de "Gana pelo Bang". Com as audições, a Dunamis quer estreitar cada vez mais seu relacionamento com o universo da música e levar o consumo do vinho para outros públicos", resume Alessandra Battochio Casolato, diretora da CH2A Comunicação.
                            

Até o próximo post!
Vanda Meneguci

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Tannat Tasting Tour 2014


 A casta Tannat no Uruguai brilha. Brilha como uma estrela, assim como o sol regente. O Uruguai é o maior produtor do mundo da casta Tannat, mais hectares plantados do que em  sua própria região de origem, Madiran, situada ao sul da França, próximo a Bordeaux. O Tannat Tasting Tour 2014, que ocorreu  nos dias  11, 12, 14 e 15 de agosto em quatro cidades, - Rio de Janeiro, Curitiba, São Paulo e Campinas, respectivamente - trouxe com ele 22 grandes produtores os quais apresentaram seus vinhos varietais, seus vinhos Tannats de corte com outras uvas, já que o Uruguai também produz vinhos de excelente qualidade de  outras  castas que  se  adaptaram perfeitamente  ao terroir do país, exemplares de Pinot Noir, Chardonnay e Cabernet Sauvignon também estiveram presentes. Sob promoção da Wines of Uruguay, organização e apoio da Cristina Neves Comunicação e Eventos, Uruguay Natural, INAVI e Cisper, estive presente no evento de São Paulo, o qual ocorreu no Hotel Renaissance, Salão América do Norte. Produtores já renomados como Narbona, Bouza, Traversa, Bodegas Carrau entre os demais brilharam no salão. A proposta foi apresentar 5 rótulos de cada produtor. Difícil foi descartar algum vinho, já que todos eram de ótima produção, mas irei dar destaques a alguns rótulos:


- Gran Tannat Premium 2009 - Montes Toscani (perfeito para beber, com prontidão. Estava perfeito mesmo!)
- Tannat Premier safra 2014 - H.Stagnari (tem bom corpo e estrutura para envelhecer)
- Narbona Tannat Roble 2011- Finca Narbona (gostoso, com corpo e estrutura)
- Viña Salort Tannat Roble 2010 - Familia Traversa (um ótimo vinho, com bastante estrutura, mas fácil de beber)
- Gran Reserva Old Vine 2010 - Viña Progresso (uma grande surpresa, um vinho bem vinificado, muito integrado)
- Sueños de Elisa 2011 - Vinã Progresso (foi também uma grande surpresa, do mesmo produtor do vinho acima. Um vinho bem vinificado, muito integrado, fácil de beber)

Boas surpresas se revelaram neste evento: Artesana Tannat - Zinfandel - Merlot Reserva 2011- grande expressão na fruta vermelha e escura, acidez e equlibrio. O Chardonnay H.Stagnari muito fresco e frutado lembrando maracujás e frutas cítricas, além do Primer Viñedo 1X1 , da mesma vinícola, um Cabernet Sauvignon delicioso com bastante tipicidade. E o Hippie, da Bodega J. Chiapella um Pinot Noir cujo a proposta da garrafa chamara bem a minha atenção. De corpo leve e aromas de frutas vermelhas, como um Pinot deve ser!

        A  casta Tannat dá origem a vinhos de muito caráter, bastante corpo
        e estrutura, muito tanino, com grande intensidade de cor, aromas
          deliciosos de frutas escuras e chocolate, com ótima concentração.
              Estes 
vinhos acompanham muito bem pratos de carnes vermelhas, com molhos fortes.

Até o próximo post!
Vanda Meneguci



domingo, 17 de agosto de 2014

Comida de buteco, o desafio

 Ah... as comidinhas de buteco. Quem resiste a uma porçãozinha em meio aos amigos, bebida e boa conversa? Eu não resisto. No dia 13 de agosto participei da degustação "Comida de Buteco, O Desafio", realizada na ABS - SP. Uma experiência muito interessante na busca da melhor compatibilização entre vinhos brancos e tintos e as 4 iguarias apresentadas: empada de palmito, bolinho de bacalhau, coxinha de frango e croquete de carne. Os vinhos escolhidos para harmonização foram cinco: um espumante brut nacional (Casa Valduga Brut safra 2013), um branco chileno de médio corpo sem passagem em madeira (Falernia Pedro Ximenéz safra 2013), um branco encorpado português (Paulo Laureano Premium Branco safra 2012), um tinto português de médio corpo (Ilógico safra 2012) e um tinto encorpado espanhol 100% Tempranillo (Embocadero safra 2011). Um outro quesito além das variedades distintas dos vinhos para esta análise, foi também a tipicidade, como diz Euclides Penedo Borges em seu livro: HARMONIZAÇÃO o livro definitivo do casamento do VINHO com a COMIDA - "Não há por que acompanhar comidas caseiras simples com grandes vinhos sofisticados nem pratos refinados e caros com vinhos rústicos". - ou seja, o que de fato deve existir é uma coerência. Ninguém em sã consciência pediria um Chateau Petrus para harmonizar com coxinha, não é? Não desmerecendo os deliciosos vinhos, cujo o preço médio ficou entre R$ 32,00 a 68,00 reais.


 Para esta análise foi utilizada um tabelinha bem simples, e todos os presentes foram a preenchendo ao seu modo. Reescrevi a minha para exemplificar o quanto pode ser útil, e como entre amigos apreciadores de vinhos, sejam em uma reunião com amigos em casa, ou em uma confraria, podem de fato chegar a conclusões sobre suas percepções e os porquês do "harmoniza", "não harmoniza", "ficou bom", ou "razoável". E por fim, entre poucas divergências a conclusão nesta degustação foi unânime: Vinhos espumantes são os melhores companheiros. Sua boa acidez proporciona leveza, adstringência e faz o casamento perfeito entre as iguarias degustadas. O branco mais encorpado, foi a segunda melhor opção, o que então nos leva a conclusão que vinhos brancos é por fim a melhor compatibilização. Já o vinho tinto de médio corpo, agradou com o croquete de carne e com a coxinha de frango, e o tinto encorpado não harmonizou em geral, deixando uma sensação de amargor e gosto metálico junto ao bolinho de bacalhau, ficando razoável apenas junto ao croquete de carne.

Até o próximo post!

Vanda Meneguci.