sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Entrevista com António Saramago, enólogo do delicioso Ilógico.

António Saramago
Pode parecer piegas, pois escutamos esta frase muitas vezes, principalmente quando começamos a nos aprofundar no vasto mundo dos vinhos “o melhor vinho é o que gostamos” mas é a pura verdade. Tem vinhos que são especiais, e isso não se implica a nada, ou seja, não importa à casta, o país de origem, o método de vinificação, tampouco o rótulo: é preferência e ponto. O Ilógico me conquistou. Comprei uma garrafa quando recebi o e-mail marketing de uma loja de vinhos que o comercializa aqui em São Paulo e ele me surpreendeu, pois há muita qualidade embutida em um “custo benefício imbatível”, palavras essas que o prestigiado enólogo do Ilógico me disse ao trocarmos algumas palavras através de um grupo de apreciadores de vinhos. É com imensa honra que entrevisto o enólogo António Saramago.

VAT: António. É um grande prazer entrevistá-lo. Pessoalmente tenho uma profunda admiração e respeito pela enologia e admiração ímpar por todos os enólogos, e claro, inclusive por você. Conta-nos brevemente a sua história, como e quando iniciou o seu trabalho com os vinhos?
ANTÓNIO SARAMAGO: Comecei muito novo a trabalhar no mundo do vinho, com a minha entrada na José Maria da Fonseca uma das maiores empresas de Vinhos de Portugal, aí aprendi com grandes Enólogos da época, António Soares Franco e o Prof. Manuel Vieira. Nessa casa cresci, e mais tarde fui fazer a minha formação em Enologia no Instituto Superior de Enologia em Bordeaux, e tive o privilégio de  ter como Professor um dos grandes enólogos do mundo e estou a falar de Páscal Ribereau- Gayon; depois continuei a trabalhar na José Maria da Fonseca até 2001, a essa altura saí para formar a minha empresa a António Saramago – Vinhos e aí fazer os meus próprios vinhos, alguns que você já conhece e que estão disponíveis no mercado brasileiro.

VAT: A partir de um certo ponto, projetou a sua carreira internacionalmente, sendo responsável pelo projeto Além Mar, de uma vinícola boutique brasileira. Como foi?
ANTÓNIO SARAMAGO: A história do Além Mar é muito interessante. Há alguns anos atrás um sommelier português esteve em Curitiba para fazer um curso de degustação de  vinhos portugueses, e estava nessa degustação um vinho meu que chamava Escolha António Saramago; era um Castelão de vinhas muito velhas da safra de 2003 e aí estavam presentes os proprietários da Villagio Grando que ficaram deliciados com a qualidade desse vinho, então perguntaram a esse sommelier se era possível conhecerem o enólogo (eu) porque gostariam que ele fizesse um vinho para a  vinícola que ligasse Portugal ao Brasil, aí nasceu o Além Mar vinho brasileiro feito por enólogo português, penso que consegui fazer um vinho excelente e hoje muito apreciado no mercado brasileiro e também no mercado americano, visto que a Villagio Grando tem o mercado americano como fonte de escoamento dos seus vinhos.

VAT: Como enólogo e consultor de vinhos internacional, como você enxerga a projeção dos vinhos no mundo e o cenário nacional (mercado)? Já podemos dizer que hoje o consumidor brasileiro é mais interessado?
ANTÓNIO SARAMAGO: Com a experiência de 50 anos de atividade profissional (não sei se sabe, mas sou o enólogo português mais antigo em atividade e penso que ninguém em Portugal atingiu todos esses anos) já vi muitas mutações no mercado, penso que hoje em dia o mercado está bastante diferente, você tem vários tipos de consumidores os  que gostam de tomar vinhos mais estruturados e com mais aptidão para envelhecerem (vinhos de guarda ) e os que gostam de tomar vinhos mais gastronômicos mais suaves, mais frutados, mais fáceis.
Hoje o mercado brasileiro é mais interessado porque as pessoas têm mais informação (internet) são interessadas e mais formadas porque a ABS tem tido um papel importante na formação das pessoas, não só dos Sommeliers como também nos enófilos que felizmente são cada vez mais.

VAT: Agora vamos falar sobre um dos meus vinhos prediletos. O Ilógico. Como você o idealizou?
ANTÓNIO SARAMAGO: O Ilógico é um vinho que me foi pedido pelo meu importador a Vinissimo, pediu -me um vinho do Alentejo jovem e  que tivesse um bom custo / beneficio. Penso que consegui corresponder ao pedido e até exceder todas as expectativas, daí nasceu o Ilógico, um vinho gastronômico, jovem, frutado de estrutura média com taninos muito redondos, digamos que é um vinho fácil de tomar a qualquer hora do dia, desde um final de tarde numa conversa com amigos .

VAT: Li na sua página da Internet que diferente do Ilógico da Península de Setúbal, o Ilógico do Alentejo é produzido apenas para o mercado externo. Por quê? E quais são os outros mercados além do Brasil?
ANTÓNIO SARAMAGO: Decidimos enviar  na altura só para o mercado brasileiro , mas hoje em dia também estamos a exportar para outros mercados, porque também nos foi pedido pelas outras importadoras, Bélgica , Holanda, Letônia, Suécia. No mercado interno temos o Ilógico, Península de Setúbal que é um produto exclusivo de um grande Grupo Supermercados Pingo Doce.

VAT: Nos dê uma dica do Ilógico na harmonização de uma culinária tipicamente brasileira.
ANTÓNIO SARAMAGO: Dica do Ilógico para harmonização. Olhe, já tomei aí no Brasil, o Ilógico com vários pratos da cozinha brasileira e gostei devido ás suas características, de vinho jovem, frutado. Penso que é um vinho consensual e que harmoniza bem com vários pratos da vossa cozinha.

VAT: Já almeja algum projeto futuro? Vem surpresas por aí?
ANTÓNIO SARAMAGO: Olhe Vanda tenho muitas coisas na minha cabeça, mas sinto que o meu tempo começa a ficar curto (66 anos), tenho uma carreira da qual me orgulho muito  de ter conhecido grandes enólogos, como o  Prof. Roger Boulton USA – Davis, atualmente um dos melhores enólogos do Mundo e meu amigo, e para terminar vou lhe dizer o seguinte: Gostaria de pedir ao tempo que me dê mais tempo para fazer ainda algumas coisas que gostaria de fazer!

VAT: Deixe uma mensagem para os leitores do blog.
ANTÓNIO SARAMAGO: A mensagem que posso dar aos leitores do Blog é a seguinte: Eu não o  conhecia já o consultei algumas  vezes, acho que está muito bem organizado, tem muita informação e aconselho sobretudo aos amantes do vinho .

VAT: Muito obrigada pelas palavras e pelo elogio. Sinto-me imensamente honrada!

Até o próximo post!
Vanda Meneguci