domingo, 22 de dezembro de 2013

Vinhos e espumantes para as festas de fim de ano.


Um pouco em cima da hora, mais ainda em tempo, realizei as compras de vinhos e espumantes para as festas de fim de ano. Tênis nos pés, 2 sacolas bem resistentes, e já com alguma ideia prévia em mente, fui a uma das delicatessen mais completas, sofisticadas e com preço justo em seus excelentes produtos importados: A Metapunto. Antes de qualquer coisa pensei na preferência de sabores e estilos que poderiam agradar toda a família, em especial a minha "mama" que prefere vinhos leves com certa doçura. Pensei também no jantar da ceia a base de aves - na minha casa será em especial Chester - e claro, em espumantes que são festivos, agradam todo mundo, além de ser muito elegante. Fui bem "brasuca" para a escolha, talvez para celebrar um 2014 positivo para o país. Outra coisa legal foi o preço gasto nesses vinhos. Vocês irão gostar. Vamos lá para a listinha?



A Metapunto possui uma grande variedade de bebidas, biscoitos finos, chocolates e presentes. Bom gosto de encher os olhos.



























1) Los Vascos Chardonnay 2011 - Colchagua/ Chile
 (Para harmonizar com o Chester!)
 R$ 39,90







2) Bossa nº 2 - Hermann  Demi Sec - Serra Gauchá / Brasil
Elaboração: Método Charmat
Uvas: 100% Chardonnay
Para harmonizar com petiscos, canapés, torradas leve e frutas.
R$ 26,90











3) Bossa nº 3 - Hermann  Rosè - Serra Gaúcha/Brasil
Elaboração: Método Charmat
Uvas: Cabernet Franc, Merlot, Pinotage

Harmoniza bem com canapés, antepastos e frios.
R$ 26,90






4) Lírica - Hermann  Brut - Serra Gaúcha/Brasil
Elaboração: Método Tradicional
Uvas: Chardonnay
Harmoniza bem com aperitivos e antepastos. 

R$ 38,00








Conheça a Metapunto!
http://metapunto.com.br/

Boas Festas !
Vanda Meneguci

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Degustação de espumantes nacionais


Com a chegada das estações quentes e também do fim de ano, o desejo e interesse por vinhos espumantes
aumenta na mesma proporção que os vinhos tânicos tornam - se menos desejosos, o que é bastante natural e compreensível. Na semana passada, tive a oportunidade de comparecer a degustação de espumantes nacionais realizada na ABS - SP. A degustação contou com exemplares de 11 produtores, os quais em sua grande maioria procedentes de Bento Golçalves - RS em estilos variados: Nature, Brut, Extra Brut.  Foi uma prova a qual considerei muito oportuna não apenas pela possibilidade de degustar bons rótulos nacionais, mais também por encontrar características bem interessantes, cujo o custo-benefício de alguns tornou-se evidente ali, praticamente unânime entre todos os presentes, e claro que alguns acabaram sendo privilegiados pela temperatura de serviço correta, o que fez notável diferença. Bom, mas vamos lá, em geral, o que eu gostaria mesmo de ressaltar é que o Brasil caminha muito bem rumo a boa qualidade na produção de vinhos, fato que venho sempre destacando em minhas publicações e os espumantes brasucas há tempos vem sendo prestigiados em degustações internacionais assim como os tintos também. Dos 11 vinhos degustados, merecem destaques o Hermann Bossa nº1, espumante que me surpreendeu muito pela sua ótima qualidade e relação custo -benefício, o Extra Brut Speciale na Vinicola Maximo Boschi, o qual estava perfeito em todos os quesitos (temperatura de serviço, perlage, aromas, acidez, persistência em boca e sem nenhum amargor) e o Cuvée Antonio Domenico Salton Gerações, o qual faltou apenas um pouco mais de frescor, mas que teve o seu mérito.
Vamos então vamos para degustação e percepções?


1) Hermann Bossa nº 1 - Brut - Hermann
Cor / Visual: amarelo palha com reflexos verdeais. Boa perlage (borbulhas).
Aromas: frutas citrinas (abacaxi, limão), notas florais e pão.
Boca: fresco, frutado e boa acidez. Boa persistência. Ótimo custo benefício. Foi servido na temperatura ideal e agradou muito!
R$ 35,60

2) Campos de Cima Brut - Campos de Cima 
Cor/ Visual: amarelo dourado brilhante. Boa perlage.
Aromas: frutas citrinas, frutas com caroço,  leve toque floral e pão.
Boca: fresco e frutado.
R$ 39,00

3) Angheben Brut - Angheben Adega de Vinhos Finos Ltda
Cor/Visual: amarelo palha com reflexos verdeais. Boa perlage.
Aromas: frutas citrinas, brancas com caroço (pêra), pão.
Boca: fresco, com boa acidez e persistência.
R$ 43,00

4) Cave Pericó Champenoise Nature - Vinicola Pericó
Cor/Visual: amarelo dourado. Boa perlage.
Aromas: frutas citrinas (abacaxi), brancas com caroço (maçã-verde), pão.
Boca: frutado, com boa acidez e persistência.
R$ 65,00

5) Extra Brut Luis H. Zanini - Vallontano
Cor/Visual: amarelo palha. Boa perlage (borbulhas).
Aromas: frutas citrinas (abacaxi), leve toque mineral, frutas brancas com caroço, pão.
Boca: boa acidez e persistência em boca.
R$ 77,50

6) Extra Brut Speciale - Vinicola Maximo Boschi (O melhor da prova!)
Cor/ Visual: amarelo palha com reflexos verdeais. Boa perlage.
Aromas: frutas citrinas (abacaxi, limão), frutas brancas, notas minerais, florais, leve tostado e pão.
Boca: boa acidez, equilibrado, fresco, doçura muito sutil.
R$ 99,00

7) Gran Reserva Extra Brut 60 - Casa Valduga
Cor/ Visual: amarelo Dourado .
Aromas: frutas maduras, flores e aromas de pão.
Boca: boa acidez, boa persistência em boca.
R$ 87,08

8) Nature Pas Dosé - Vinhos e Espumantes Adolfo Lona Ltda
Cor/ Visual: amarelo palha.
Aromas: frutas maduras, mel, aromas de pão.
Boca: boa acidez, boa persistência em boca.
R$ 55,91

9) Cuvée Antonio Domenico Salton Gerações - Vinhos Salton
Cor/ Visual: amarelo palha.
Aromas: frutas secas, mel, aromas de pão.
Boca: boa acidez, boa persistência em boca.
R$ 86,90

10) Excellence par Chandon Brut Cuvée Prestige - Moet Hennessy do Brasil
Cor/ Visual: amarelo Dourado.
Aromas: frutas maduras, flores, alecrim e pão.
Boca: fresco, frutado, leve doçura, equilibrado.
R$ 90,00

11) Estrelas do Brasil Nature Rosé - Estrelas do Brasil Comércio de Vinhos
Cor/ Visual:  rosa salmão, lembrando casca de cebola.
Aromas: frutas secas e aromas complexos
Boca: frutado, boa acidez e persistência.
R$: 80,00


Até o próximo post!
Vanda Meneguci.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Entrevista exclusiva com Faye Cardwell - Uma mulher a frente do seu tempo.

Guardem bem o seu nome: FAYE CARDWELL, uma mulher a frente do seu tempo. Como ela mesma se auto - intitula, trabalha para si, é senhora da sua própria escolha. Uma jovem inglesa, poliglota, simpática e dinâmica que faz o que ama: promove vinhos italianos pelos quatro cantos do mundo. Recentemente esteve no Brasil para negociar pelo 2º ano consecutivo a participação do Consórcio La Spiga di Montalcino na Expovinis 2014. Com descontração e muita simpatia, Faye nos dá essa entrevista exclusiva.

VAT: Como iniciou a sua paixão pelos vinhos?
FAYE CARDWELL: Ah... A minha paixão pelos vinhos... Eu iniciei há 10 anos com o trabalho para organizar feiras de vinhos, ou a única feira de vinhos italianos existente na China. Depois de um ano, eu tive o prazer de organizar uma degustação de vinhos em um projeto para a 40ª edição da Vinitaly com Serena Sutcliffe, Master of Wine, e uma das maiores experts de vinho no mundo. Ela escolheu 14 produtores muito importantes para apresentar os seus produtos, e foi aí que eu disse a mim mesma: “Com todos esses vinhos maravilhosos, (eu já entendia alguma coisa) por que não continuar”? E foi ali mesmo que eu decidi me aperfeiçoar estudando na (AIS- Itália) onde obtive a formação profissional como Sommelière, e depois mais uma intitulação pela WSET, chegando ao nível avançado.

VAT: Como se dá o seu trabalho na prospecção dos produtores e até a efetivação dos eventos pelo mundo?
FAYE CARDWELL: É um grande trabalho de PA, de conhecer pessoas. Com os eventos os quais eu organizo, tenho a sorte de conhecer muita gente do meio, e com isso eu posso coloca-las em contato, umas com as outras. Eu trabalho muito com grupos de produtores, então é muito importante entender qual é o posicionamento do vinho no mercado, por exemplo, no Brasil nós definimos o Brunello porque também o Brunello é muito conhecido no país; é um mercado interessante. Por exemplo, eu posso vir aqui com o Brunello, mais não posso vir aqui com outra região com qual eu trabalho, porque pode não ser um mercado adequado. Então, preciso entender qual é o produtor, qual é o produto, e quais são as suas características.

VAT: Qual é a expectativa dos produtores quando vocês criam juntos esse fomento? Seria a princípio a promoção dos vinhos, correto?
FAYE CARDWELL: Sim. Eles têm que ter a consciência de que eu não tenho um mercado fácil no mundo, precisam se preparar. Eu posso ajuda-los na prospecção de contatos, com a comunicação, e depois ajuda-los a fazer o trabalho nos eventos sabendo que talvez eles encontrem a pessoa certa ou talvez não, que talvez eles tenham que retornar uma vez, duas vezes, ou talvez descubram que não é o seu mercado, que os preços são altos. O produtor tem que ser consciente do risco, tem que escolher bem o importador. Ao final, é sempre um trabalho de parceria, ou seja, os vinhos são importantes mais nesse tempo, ele tem que saber o que oferecer ao importador, fundamental aí, especialmente em novos mercados como o Brasil, o treinamento para a equipe comercial e para o canal de vendas.

VAT: O mercado de vinhos é muito amplo, principalmente na Europa. O que os produtores quem trabalham com você podem fazer para criar um diferencial competitivo perante os outros negociants que trabalham vinhos no mundo?
FAYE CARDWELL: Eu trabalho muito com produtores italianos, e eu acho que eles têm uma grande vantagem em ter coisas muito diferentes se comparado a outros países. Apelações que são interessantes e muito específicas, e hoje temos muitos mercados que buscam produtores “in natura”, ou seja, produtores de vinhos orgânicos, que não buscam apenas uma marca famosa, um “Jacob´s Creek”, mais sim um vinho mais exclusivo no se refere à terroir. Essa é uma característica muito importante encontrada no mercado dos vinhos italianos.

VAT:  Quais são as suas expectativas para o mercado brasileiro?

FAYE CARDWELL: ...Ah ah... eu acho o mercado brasileiro muito interessante para todos, porém a questão tributária alta complica, mais o que eu posso perceber é que o consumidor gosta muito dos vinhos italianos, então para os meus clientes isso é muito interessante, sendo assim, esperamos encontrar importadoras sérias para que juntos possamos crescer e criar um mercado. Eles têm consciência de que não é um trabalho fácil, mas os 13 produtores que virão ao Brasil em abril, sabem disso sim. Vamos lançar nossa nova marca "The Faces of Brunello" na Expovinis 2014 com o intuito de ajudar as pessoas a entender que esse grupo faz um dos vinhos mais famosos da Itália. Eles são um grupo de jovens produtores que hoje fazem excelentes vinhos com diferentes características e estilos. Temos um produtor com vinhos biodinâmicos que é tão apaixonado que pode prender sua atenção por horas enquanto descreve como gerencia seus vinhedos. Vamos realizar um evento para a imprensa também, por isso esperamos que os jornalistas locais se encantem pela paixão que eles têm por seus vinhos.

VAT: Uma experiência inesquecível na sua vida.
FAYE CARDWELL: Eu tenho a sorte de visitar coisas muito diferentes, então visito um pequeno produtor na região de Marche que faz um biodinâmico com ânfora de séculos, que faz o vinho na terra; também com produtores de Valpolicella, uma região onde vivi por dez anos que faz coisas muito selecionadas, - eu adoro o Amarone! - mais há um mês, fui a Campo Viejo, na Espanha, que foi um outro tipo de experiência, onde conheci uma vinícola de 4.600 hectares. Eles produzem 12 milhões de garrafas/ano e possuem 70 mil barricas. Essa foi uma experiência fantástica, perfeita para entender a grande variedade no mundo do vinho.

VAT: A Faye pela Faye...
FAYE CARDWELL: Ahahahah. Como eu sou? Germinal. Então, sou uma pessoa muito curiosa, sociável, que gosta de conhecer pessoas, de viajar e de fazer coisas muito diferentes, por isso trabalho para mim mesma, porque na minha vida organizo um evento no Brasil, escrevo um artigo, por exemplo, procuro jornalistas para o pré-lançamento do Amarone em Verona, então sempre faço coisas muito diversas o tempo inteiro. Nesse momento estou trabalhando na segunda edição do Wine Business Innovation Summit, um evento para as pessoas no comércio de vinhos que combina aspectos da comunicação, modelos de negócios, marketing e vinhos em um todo. Será realizado em Munique nos dias 18 e 19 de janeiro.

VAT: Deixe uma mensagem para os leitores do Blog.
FAYE CARDWELL: Ahahaha.. Uma mensagem? Bebam mais vinho e não se intimidem. O melhor vinho é o vinho que você gosta!