quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Vinho na Vila encerra a sua 1ª edição deixando um gostinho de quero mais

Que pena! Que pena mesmo ter acabado os três dias do Vinho na Vila, que aconteceu entre os dias 05 a 07 de agosto no Armazém da Cidade, em São Paulo Capital, e o que eu posso dizer é que "o Vinho na Vila encerra a sua 1ª edição deixando um gostinho de quero mais! Sem os sincretismos vinílicos, e sem a intervenção de enochatices à parte, o evento teve a proposta única de democratizar o acesso do consumidor de vinhos ao vinho, e com mais um adendo, Nacionais, porque o Brasil produz vinhos excepcionais também, e o lugar escolhido não poderia ter sido melhor, a Vila Madalena, o bairro que para mim, é o mais boêmio e cultural da cidade. Ali, todos os presentes ficaram à vontade, passeando nas ruas, escutando boa música, vendo pessoas circulantes e felizes, fazendo inúmeras selfies na escadaria e no Beco do Batman, logo ali, ao lado de tudo. Tudo muito bom mesmo! Foi uma grande iniciativa e de surpreendente adesão, idealizados por pessoas que hoje constroem um cenário diferente, trazendo leveza e simplicidade ao dito "mundo dos vinhos". Larissa Fin e Silvia Mascella Rosa,- a primeira, enóloga e produtora dos vinhos Fin, a segunda, Sommelière profissional e curadora do evento - só podem receber muitos aplausos, acho mesmo que elas devem, junto com toda equipe organizadora, já pensar em uma nova edição rapidinho, rapidinho para a gente curtir muito.

Aproveitando o domingo no Vinho na Vila, o que eu vi e bebi. In vino veritas. Andiamo via!



E hoje foi dia mesmo de se divertir, de estar entre bons amigos, aproveitar o evento e experimentar bons vinhos. O evento dava a possibilidade de degustar os vinhos apresentados pelos produtores, como também em adquiri-los na compra de garrafa, o que para nós, que estávamos em três, foi bem atrativo. Como o domingo estava friozinho, decidimos por rótulos tintos, e não é que já iniciamos sendo presenteados pelo Fin Ancelotta Reserva do Produtor ? Um tinto encorpado, com aromas de frutas vermelhas escuras e notas de tosta, e de grande elegância em boca, não é à toa que foi eleito como o melhor vinho recebendo medalha de ouro no The Best of Wine Weekend 2016. Depois desse grande vinho quisemos perpetuar a tarde agradável com mais um vinho fantástico do mesmo produtor, o qual já é bem conhecido por mim Fin Tannat, rótulo de grande estrutura porém de taninos fáceis de beber. A tarde foi da uva Ancellota e Dal Pizzol Ancellota foi uma excelente surpresa, encorpado, com aromas de frutas maduras, couro e especiarias, delicioso em boca, com boa persistência e harmonia. Entre os estandes de alguns produtores presentes, estava a Red Buteco, um buteco de vinhos inaugurado recentemente na Vila Madalena. Me chamou a atenção por ter ali um vinho mineiro de rótulo lindo! Dom Minas Syrah, de Cordislândia, Minas Gerais. Tem uma leve maturação em madeira, prevalecendo um estilo jovial, com muita fruta como amoras, especiarias, e notas de fumo. Delicioso, de rótulo lindo e atrativo. Luiz Porto Vinhos Finos, guardem bem esse nome, do produtor do Dom Minas Syrah, e foi - me apresentado pelo Danilo, que trabalha na Red Buteco, este que é mais um lugar para se conhecer o qual já está na minha lista. E para finalizar a noite, optamos por comprar o Tempos Cabernet Sauvignon, da Vinícola Góes, um vinho de entrada, jovem e bem honesto na sua relação custo benefício. Justíssimo!

Até o próximo post, até o próximo Vinho na Vila!
Vanda Meneguci

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Miolo lança primeiro vinho do Brasil elaborado com uvas de colheita noturna



Em fevereiro deste ano, o Grupo Miolo implementou no Brasil uma nova tecnologia na colheita de uvas: a Colheita Noturna. Já utilizada em outros países, ela consiste – como o nome indica – na realização da colheita mecânica no período noturno.


A primeira utilização do processo aconteceu com a variedade Sauvignon Blanc no vinhedo do Seival Estate, na região da Campanha, no Rio Grande do Sul, e o resultado já pode ser conferido: acaba de chegar ao mercado o Miolo Reserva Sauvignon Blanc 2016, o primeiro vinho nacional elaborado com uvas de colheita noturna.

Entre os benefícios da Colheita Noturna, está a influência da temperatura, que cai consideravelmente no período noturno, preservando aspectos importantes da fruta e trazendo aromas bastante destacados. Além disso, o período mais frio preserva as cores verdes do mosto, influenciando não apenas no sabor e aroma do vinho, como também em sua coloração.

“Durante a madrugada, a uma temperatura mais baixa, a uva está gelada e apresenta uma preservação aromática diferente da fruta colhida durante o dia a altas temperaturas”, explica o enólogo e superintendente do grupo, Adriano Miolo. De acordo com ele, explorar as potencialidades da Sauvignon Blanc foi a principal motivação pela escolha da colheita noturna para a safra 2016 dessa variedade.


“A Sauvignon Blanc produz alguns dos melhores vinhos brancos do mundo. Na temperada região da Campanha, nos vinhedos do Seival, manejávamos o vinhedo de forma que protegíamos os cachos verdes da luz solar durante a maturação, para a preservação dos aromas. Agora, com a Colheita Noturna, seria como se controlássemos a temperatura da Sauvignon Blanc ainda na videira. Com isso, conseguimos evidenciar os aromas primários e também preservar sua acidez natural”, explica o enólogo Miguel Almeida, que acompanhou todo o processo de elaboração do vinho.


GRUPO MIOLO

O Grupo Miolo é um dos maiores e mais reconhecidos grupos do Brasil. A vinícola iniciou seus trabalhos em 1897, quando o italiano Giuseppe Miolo chegou ao Brasil. Hoje, possui projetos em diferentes regiões: Vale dos Vinhedos (RS), Campanha (RS), Campos de Cima da Serra (RS) e Vale do São Francisco (BA). Informações: www.miolo.com.br.

Informou: Ch2@ Comunicação

 Conheça o projeto Seival State assistindo o vídeo abaixo:


Até o próximo post!
Vanda Meneguci

terça-feira, 26 de julho de 2016

3º Internacional Wine Show apresentou vinhos já consagrados e boas surpresas

No dia 21 de Julho de 2016, São Paulo recebeu mais um evento que já promete fazer parte do calendário de atividades da Capital. O 3º Internacional Wine Show apresentou vinhos já consagrados e boas surpresas também. O evento, que ocorre em formato de uma feira de vinhos, aconteceu no Centro de Convenções Frei Caneca, localizado dentro das dependências do Shopping Center de mesmo nome, promovido pelo conceituado Empório Frei Caneca, que trouxe ali seus produtores para abrilhantarem mais um belo espetáculo. Tudo muito bem organizado, sem excessos de pessoas, onde o participante teve a oportunidade de degustar todos os rótulos ali oferecidos, além de ter acesso direto a alguns produtores e enólogos, vindos especialmente para prestigiarem os presentes. 

Ao ingressarmos no evento, ingressamos mesmo numa experiência e tanto, onde o protagonista principal são mesmo os vinhos, e então, nada melhor do que comentar alguns dos destaques avaliados por mim.

Vamos então aos vinhos?

Conheci a linha Punto Máximo Gran Reserva, e ali degustei todos os seus monovarietais - Cabernet Sauvigon, Carménère, Syrah, Bonarda, Malbec e Tempranillo (foto 2) - exclusivos pela importadora Obra Prima que escolheu os produtores baseados nas expressão de suas castas x terroir. Vinhos equilibrados, fáceis de tomar e de ótima expressão nas origens. 

O destaque nesta linha para mim foi o Punto Máximo Gran Reserva Syrah 2013, de ótima expressão nas frutas vermelhas maduras, pouca madeira, boa especiaria e de bom equilíbrio e persistência. Saindo dali, não poderia deixar de degustar o vinho de um produtor muito admirado. António Saramago Winemaker 2013 (foto 3) de grande intensidade aromática de frutas vermelhas, apresentou - me no palato muitas framboesas. De ótima estrutura e persistência, é realmente um vinho que jamais decepciona. Importado pela Viníssimo. 

Degustei dois exemplares brasileiros que posso dizer, com orgulho, são ótimos vinhos. Villa Francioni e sua linha Joaquim (foto 4) encanta quem os prova. Joaquim Rosé 2015, tem agradabilidade no rótulo e também em suas notas delicadas de flores e de frutas vermelhas. Joaquim Cabernet Sauvignon/Merlot 2011 é delicioso! Má vinificação e amargor é algo que realmente não existe ali, mas sim, um vinho com expressão de frutas vermelhas escuras, com leve herbáceo, bom corpo e equilíbrio. Voltei a mesa da importadora Vinissimo para degustar um 100% Garnacha, o vinho de belo rótulo La Garnacha Salvaje Del Moncayo 2009 (foto 5), que ainda apresenta boa fruta, sapidez e uma certa complexidade em boca. Não poderia deixar de degustar o Planeta La Segreta DOC 2014 (foto 6), pois adoro mesmo vinhos da Sicilia. Vinificado com a deliciosa uva Nero D´Avola possui notas de frutas vermelhas, frutas pretas e até mesmo uma nota balsâmica. É fácil de beber e muito versátil para harmonizações. Finalizei a noite degustando dois vinhos Portugueses, o primeiro, Monte das Ânforas 2014 (foto 7), é importado pela Portus é um típico Alentejano, produzido pelo famoso produtor Bacalhôa. Aragonez e Trincadeira são as castas que compõem este delicioso vinho tinto de frutas vermelhas, notas de especiarias e ótimo volume em boca. O segundo rótulo, o Flor das Tecedeiras 2014 (foto 8) possui um corte de 5 castas, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Franca e Tinta Amarela. De grande intensidade aromática, revela-se frutado e floral, encorpado, elegante e ao mesmo tempo saboroso e jovial! A Winebrands acertou na escolha. Todos os vinhos apresentados no evento podem ser encontrados no Empório Frei Caneca.

Até o próximo post!
Vanda Meneguci


domingo, 17 de julho de 2016

Cotia receberá o 2º Festival Morana - Vinhos Finos e Cervejas Artesanais



Há poucos quilômetros da capital, está a cidade de Cotia, no estado de São Paulo, a qual receberá no dia 06 de agosto o 2º Festival Morana - Vinhos Finos e Cervejas Artesanais. Após o sucesso da 1ª edição, o festival promete apresentar 200 rótulos entre vinhos finos e cervejas artesanais para degustação, e claro que um festival que tem como foco dois estilos de bebidas tão apreciadas, não pode faltar boa gastronomia e boa música, além de atividades como o Espaço Zen, e a Brassagem de Cerveja Artesanal, a segunda, aberta ao público com o objetivo de demonstrar como se produz uma cerveja artesanal seguindo corretamente todas as etapas que envolve o processo. E calma, para os enófilos de plantão o evento apresentará o Wine Lab, uma espécie de laboratório do vinho, cujo objetivo é apresentar também curiosidades sobre o universo fascinante da viticultura, desde as estacas e condução das videiras, até chegar ao processo de fermentação do vinho. O Wine Lab será ministrado pelo Instituto Federal de São Paulo (IFSP - Campus São Roque). 

Uma ótima oportunidade para conhecer Cotia e deleitar-se com todas essas atratividades!
2º Festival Morana - Vinhos Finos e Cervejas Artesanais
Data: 06 de agosto, das 15 às 20h
Local: Hangar Aeródromo Nascimento - Estrada de Caucaia do Alto, km 1,5 - Cotia- SP
Ingresso: R$ 80,00 (com direito a taça exclusiva e R$ 30,00 revertidos em compras durante o evento)
Estacionamento gratuito
Informações pelo telefone: 11 4614-0334

Facebook: www.facebook.com/festivalmorana

Realização: Empório Morana 
Patrocínio: Concha Y Toro, Monte Paschoal, Wine Brands 
Apoio: AlvoCom, Revista Circuito, Boschetti Outdoors 

Até o próximo post!
Vanda Meneguci

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Italiamais brinda Festival de Inverno de Campos do Jordão com evento exclusivo de degustação



Dona de um portfólio de excelência, a Italiamais vai surpreender apreciadores do vinho italiano no Benvenuto Wine Show, evento realizado em parceria com a ENOTECA BRAZOLIN, com mais de 40 rótulos de 16 notáveis produtores trazidos ao Brasil com exclusividade pela importadora.  

Em todos os sábados do mês de julho, os visitantes da BRAZOLIN poderão degustar uma seleção ímpar de vinhos de alta gama das regiões mais tradicionais da vinicultura italiana. Entre eles, o COS Contrada, 100% Nero d’Avola do produtor siciliano COS; o Ciacci Brunello di Montalcino, do produtor Ciacci Piccolomini, da região de Montalcino, na Toscana; e do produtor Chiappini, o Guado di Gemoli, vinho que reúne toda a elegância e complexidade de Bolgheri, região do premiado Sassicaia.    

Além destes, o destaque vai para o Avvoltore Supertoscano, vinho elaborado a partir das uvas cultivadas no alto do monte “Poggio dell’Avvoltore”, nome inspirado no falcão de Maremma (região de Grosseto, na Toscana), ave de rapina que voa ao redor dos vinhedos cujo solo argiloso resulta em sabores e aromas poderosos e marcantes.      

Para degustar estes e outros vinhos especialmente selecionados para a 1ª edição do Benvenuto Wine Show, o público interessado pode adquirir os ingressos diretamente na ENOTECA BRAZOLIN ou pelo telefone (12) 3663-6760, e, no ato da compra, receber um cupom de desconto no valor de R$ 80,00 para a compra dos vinhos Italiamais disponíveis no local.     


BENVENUTO WINE SHOW
Todos os sábados de julho | Dias 2, 9, 16, 23 e 30
Das 14 às 20 horas
Condomínio Edifício Center Suíço – Avenida Macedo Soares, 457 - Capivari, Campos do Jordão

#Italiamais #VinhosdaToscana #LaPalazzetta #TenutaBrunelli


ITALIAMAIS

A importadora Italiamais trabalha com vinhos exclusivos das melhores regiões da Itália. Com sede em Roma e em São Paulo, diferencia-se pela proximidade com os produtores e a curadoria especial de vinhos de excelente qualidade das melhores regiões da Itália, como Bolgheri – na Toscana –, Sicília e Vêneto. No portfólio estão os melhores vinhos para o perfil de consumo brasileiro e produtos que são notícia e sucesso no mercado internacional. São trazidos ao Brasil com exclusividade pela Italiamais rótulos especiais como o vinho do tenor Andrea Bocelli, espumante e tintos da milenar Tenute Giucciardini Strozzi e o Brunello di Montalcino Madonna dele Grazie, um dos poucos vinhos do mundo a receber 100 pontos do crítico de vinhos Robert Parker. Seja exclusivo com a Italiamais. Informações: www.italiamais.com.br.

Informou:

CH2A Comunicação

Até o próximo post!
Vanda Meneguci

quarta-feira, 15 de junho de 2016

ATEO. Um vinho toscano para beber e crer

Minha paixão permeia por vinhos e histórias. Adoro ir sempre além do que vemos no rótulo de uma garrafa e na taça, a eterna indagação de quem é apaixonado por um tema, de querer esmiuçar os fatos, os que de alguma forma enchem os nossos corações de emoção, as quais acabam fatalmente valorizando o próprio objeto. Conheci recentemente o ATEO, um vinho toscano para beber e crer. A história da produção deste rótulo nasce de um desafio, o qual o próprio produtor lança a si próprio ao vinificar um vinho que não fosse então um Brunello, a sua maior especialidade. Isso ocorreu no ano de 1989, ano de safra ruim (duas estrelas), um ano estranho e atípico, entre duas grandes safras excepcionais para o estilo (as safras 1998 e 1990 foram safras cinco estrelas), a qual coincidiu com o primeiras colheitas das castas Cabernet Sauvignon e Merlot nos vinhedos deste então produtor, decidido por fim, elaborar vinhos Brunello apenas em anos de safras de excelência. E é aí que nasce este vinho, um corte bordalês de Cabernet Sauvignon e Merlot, que foi tão bem aceito, que acabou sendo incorporado definitivamente entre os grandes rótulos deste produtor de Montalcino, o Ciacci Piccolomini d`Aragona; felizmente para nós, humildes terráqueos, amantes deste eterno elixir divino. ATEO é mesmo para crer!
Estratégia que deu certo? Sim, super certo!




Então vamos ao vinho?


ATEO 2013
Produtor: Ciacci Piccolomini d`Aragona
Região/País: Montalcino, Toscana - Itália
Uvas: 50% Cabernet Sauvignon, 50% Merlot

Análise organoléptica:
Cor: vermelho rubi intenso com reflexos violáceos e brilhante.
Aroma: grande intensidade de frutas vermelhas como cereja, framboesa e também escuras, como amoras e ameixas (frutas silvestres), além boa expressão na especiaria e nas notas herbáceas.
Boca: é encorpado, estruturado, de retrogosto frutado, taninoso, porém muito elegante, fino e persistente. Um vinhasso! Apaixonante e sedutor.

Quem importa: Italiamais
Preço sob consulta

Até o próximo post!
Vanda Meneguci

quinta-feira, 26 de maio de 2016

O que já uma tendência na Europa e nos Estados Unidos, os vinhos de Bolgheri começam a conquistar o Brasil

                                                                                                  

Uma tendência no mundo do vinho já enche as taças na Europa e deve se tornar, em breve, tendência também no Brasil: os vinhos de Bolgheri, pequena e charmosa região localizada na província de Castagneto Carducci, na Itália. Sinônimo de vinhos de altíssima qualidade, Bolgheri tem influência do mar mediterrâneo e apresenta condições particulares de cultivo. 

“São vinhos elaborados em microclimas específicos, o que faz da região um excelente local para elaboração de rótulos com diversidade. Exemplares frescos e leves, ou vinhos mais complexos e de personalidade e elegância, sempre haverá um Bolgheri para a ocasião que se deseja celebrar ou o prato que o apreciador quer harmonizar”, explica Alexandro Paesani, diretor da importadora Italiamais, especializada em trazer vinhos italianos de alto padrão ao Brasil e que, com sede na Itália, está atenta às tendências do mundo do vinho na Europa.

É da importadora a maior carta de Bolgheri no Brasil: são 38 rótulos no portfólio, entre tintos, brancos e rosés. Um dos destaques são os autênticos vinhos elaborados artesanalmente pelo produtor Franco Batzella. Tenuta Argentiera, Campo Alla Sughera, Ceralti, Chiappini, La Cipriana, La Cerretella e Donne Fittipaldi são as outras marcas de Bolgheri importadas no Brasil com exclusividade pela Italiamais.

Presentes em todos os conceituados restaurantes das mais importantes metrópoles, como Tóquio, Nova Iorque, Milão, Paris e Londres, os vinhos Bolgheri seguem encantando novos apreciadores e afirmando a qualidade singular e harmoniosa de seus terroirs. “Nossos Bolgheris são pontuados e destacados no exterior. A fama conquistada pelo Sassicaia, rótulo mais conhecido da região, trouxe atenção ao local e aos outros vinhos produzidos ali. Todos com a qualidade de um vinho como o Sassicaia, mas com valores muito mais atraentes, já que ele chega a custar R$ 2 mil no Brasil”, finaliza Paesani.

ITALIAMAIS
A importadora Italiamais trabalha com vinhos exclusivos das melhores regiões da Itália. Com sede em Roma e em São Paulo, diferencia-se pela proximidade com os produtores e a curadoria especial de vinhos de excelente qualidade das melhores regiões da Itália, como Bolgheri – na Toscana –, Sicília e Vêneto. No portfólio estão os melhores vinhos para o perfil de consumo brasileiro e produtos que são notícia e sucesso no mercado internacional. São trazidos ao Brasil com exclusividade pela Italiamais rótulos especiais como o vinho do tenor Andrea Bocelli, espumante e tintos da milenar Tenute Giucciardini Strozzi e o Brunello di Montalcino Madonna delle Grazie, um dos poucos vinhos do mundo a receber 100 pontos do crítico de vinhos Robert Parker. Seja exclusivo com a Italiamais. Informações: www.italiamais.com.br.

#ch2a #italiamais #bolgheri #trend
Informou: CH2A Comunicação
Até o próximo post!
Vanda Meneguci